Justiça de Portugal solta brasileiro de 71 anos acusado de tráfico

O comerciante José Pereira, 71 anos, preso desde 15 de maio em Lisboa, após ter 11 quilos de pasta-base de cocaína encontrados em uma de suas malas, recebeu nesta quarta-feira (03) um alvará de soltura emitido pela Justiça de Portugal. Desde o desembarque na capital portuguesa e a prisão preventiva, a família insistia que ele havia sido vítima de um golpe. O caso foi revelado pelo Fantástico, da TV Globo, neste domingo (30).

O advogado da família, Fabiano Lopes, revelou ao site G1 que, assim que for efetivamente solto, o que deve ocorrer ainda nesta quarta, o paraense passará por alguns procedimentos, como ir no juízo deixar endereços fixos e pegar o passaporte recolhido pelo governo português.

“José Pereira teve a liberdade provisória concedida agora. O inquérito continua correndo em Portugal. Ele vai voltar para o Brasil assim que possível. Ele vai responder o processo por carta rogatória. Ele será ouvido em Belém pelo processo instaurado na justiça portuguesa”, explicou.

“A defesa usou as imagens dos aeroportos para embasar o argumento da liberação. Ficou muito claro que ele não teve acesso em momento alguns às bagagens com drogas”, completou Lopes.

Entenda

Imagens mostram José e sua esposa, Valdilene Rodrigues, 45 anos, desembarcando de um carro no aeroporto de Belém. O motorista deixa duas malas escuras na calçada. Era a segunda viagem internacional do casal, que está junto há mais de 20 anos. A data era 14 de maio.

José foi preso em 15 de maio no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. Ele foi acusado de tráfico internacional. Segundo a polícia portuguesa, além das duas malas que inicialmente estavam com o casal, José estava com uma terceira, de cor azul. Nela estava a droga.

“Na entrada, o funcionário disse que o voo estava lotado e que precisaria despachar a mala”, contou Valdinele. Eles pegariam a mala somente em Paris. De Belém, o casal seguiu sem as malas para Fortaleza, onde fariam uma conexão.

Imagens

Nas imagens do circuito de segurança, José e Valdilene aparecem sem as malas passando pela inspeção. O comerciante aparece no fundo da imagem com uma camisa azul (foto em destaque). Depois deste momento, ele seguiram para a área de embarque, rumo a Portugal.

Valdinele disse à TV Globo que chamaram seu marido por meio do sistema de alto-falantes do aeroporto de Fortaleza. Uma mulher teria ido encontrá-lo. “Ela informou que havia tido um problema com a bagagem dele e que precisaria colocar uma nova etiqueta no bilhete dele”, afirma.

Ao chegarem em Lisboa, o casal foi abordado por policiais. “Dissemos que a mala não era nossa e fomos liberados”, destaca. Já dentro do avião, José foi preso. O idoso foi levado do aeroporto para a sede da Polícia Federal portuguesa. Ele está preso preventivamente desde então.

O casal contratou advogados em Portugal e no Brasil. Eles alegam ter sido vítimas de um golpe e agora tentam resgatar imagens da entrega da etiqueta. “Todas as imagens foram entregues, menos essa”, reclama o advogado de José, Fabiano Tadeu Lopes.

Aeroporto e empresas sob investigação

O Aeroporto de Fortaleza está sendo investigando pela Polícia Federal brasileira. As companhias aéreas Gol e TAP Portugal e os aeroportos citados na reportagem do Fantástico não comentaram o caso por ele estar em “segredo de Justiça”, mas garantiram que estão colaborando com a apuração.

Na semana passada, um sargento a Aeronáutica foi preso na Espanha com 39 quilos de cocaína. Ela fazia parte da comitiva presidencial que acompanhava Jair Bolsonaro (PSL) que seguia para a reunião do G20, grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo.

Compartilhe