Comissão da Verdade afirma que Juscelino Kubitschek foi assassinado

A Comissão Municipal da Verdade de São Paulo divulgou nesta segunda,
dia 10 de dezembro, que o relatório sobre a investigação da morte de
Juscelino Kubitschek traz evidências de que o ex-presidente foi
assassinado pela ditadura, em 1976, durante uma viagem de carro. Segundo
eles, JK não teria morrido devido ao acidente automobilístico.

“Não temos dúvida de que Juscelino Kubitschek foi vítima de
conspiração, complô e atentado político”, disse o vereador Gilberto
Natalini, presidente da Comissão Municipal da Verdade.

O órgão municipal investiga as circunstância da morte de JK. Com 29
páginas, o relatório possui depoimentos de testemunhas, além de 90
“indícios, evidências, provas, testemunhos, circunstâncias,
contradições, controvérsias e questionamentos” sobre a morte do
ex-presidente.

De acordo com a versão oficial da morte de JK, um ônibus teria batido
levemente no veículo, que acabou se descovernando e chocando contra o
caminhão.

Compartilhe