Confira a coluna “Olho de Tandera”, por Jones Almeida

Ficou de fora

O deputado federal Marcelo Nilo se esforçou, articulou apoio de prefeitos, mas não será o escolhido para formar chapa com ACM Neto na disputa pelo governo do estado. “Eu não serei o vice”, declarou o parlamentar após reunião que oficializou a retirada do seu nome. Contra o ex-presidente da Assembleia Legislativa se posicionou publicamente o presidente do PDT, deputado Félix Mendonça Jr. O racha ajudou a dificultar a composição.

Quem será?

José Ronaldo(UB), Edylene Ferreira(Republicanos) e Adolfo Viana são os nomes que disputam a vaga na chapa de ACM Neto. Para ocupar o posto de candidato a vice governador o ex-prefeito de Feira, José Ronaldo, é o favorito. A vereadora de Serrinha corre por fora e, se alçada ao posto, surpreenderá muita gente. Se ficar de fora, é dada como uma das favoritas na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa. Já o deputado federal Adolfo Viana(PSDB) tem sido nome ventilado e com chances de emplacar. Nome pode ser definido nas próximas horas ou até sexta-feira, 05, data da Convenção do União Brasil Bahia. Veremos!

PSD rachou

O partido do senador Otto Alencar(PSD) está dividido entre a ala que apoia o veterano e aposta na candidatura do petista Jerônimo Rodrigues(PT) e a ala que migrou ou está prestes a migrar em definitivo para apoiar ACM Neto(UB) na disputa pelo governo da Bahia. Esse bloco tem relação com o senador Ângelo Coronel(PSD). Nos últimos dias ao menos 10 prefeitos do PSD declararam apoio ao ex-prefeito de Salvador. A pergunta da classe política é quando Coronel vai declarar seu apoio? Será?

Bateu forte

Depois de chamar Jerônimo de inexpressivo e inexperiente, dias atrás, o senador Ângelo Coronel bateu forte no governador Rui Costa. A crítica foi para a articulação política e a falta de trato do petista com lideranças políticas do interior, salvo “em ano de eleição”. Além disso, o senador deixou nas entrelinhas, possibilidade de apoiar ACM Neto com a declaração de apoio para que a vereadora Edylene Ferreira seja escolhida para ocupar a chapa majoritária do ex-prefeito. Sem papas na língua disse que se ela for escolhida, Neto será eleito governador. A entrevista repercutiu e deixou uma arara petistas e o Palácio de Ondina.

Bombou

A plenária que oficializou Jerônimo Rodrigues candidato a governador da Bahia, no Parque de Exposições, no último sábado, bombou de público mas falhou de comunicação. Mais de 20 mil pessoas foram prestigiar a convenção do petista, que não agradou no discurso e, rouco, ainda teve que concluir, inesperadamente, o pronunciamento. No Parque o som do palco ficava restrito à área coberta, aonde se concentravam algumas caravanas. Fora dali, ninguém ouvia nada, reclamava militantes.

Convenção de Neto

A Convenção que oficializará ACM Neto candidato a governador promete, além de anunciar o nome do escolhido para vice, também bombar com lideranças vindas dos 4 cantos do estado.

Roma lá

O candidato João Roma tem intensificado suas agendas no interior e articulado lideranças, simpáticas ao presidente Jair Bolsonaro. Nas andanças, o ex-ministro da Cidadania reserva espaço na agenda para conceder entrevistas e conversar com a imprensa.

Tem gente demais fazendo nada
Madre de Deus parece que vai tomar rumo na política com o freio de mão (ainda puxado) do prefeito Dailton Filho. Muda aqui, muda ali, muda acolá e a coisa começa a aprumar.
As más línguas dizem que a gestão precisa diminuir, sim, isso mesmo, diminuir o número de puxa-sacos que pioram a imagem do Beija Flor na cidade.

Cuidado deputados

Deputados e deputadas, já com mandatos, cuidado. Ficar aos berros, gritando com assessores, reclamando com quem segura bandeira, em eventos políticos, não pega bem. Na convenção do PT, este Olho de Tandera flagrou cenas nada agradáveis. Cuidem da imagem, candidato, da boa reputação.

Marcha soldado

“Já estou aqui, cadê você? Você sabe que isso aqui também é trabalho”. Pouco antes das 9h da manhã, do último sábado, uma servidora pública em cargo comissionado de chefia no governo do estado já bradava ao telefone cobrando a presença de seus liderados no ato político, no Parque de Exposições, que oficializaria a candidatura de Jerônimo Rodrigues (PT) ao governo da Bahia. Do outro lado da linha, profissionais de perfil técnico improvisavam mil justificativas para esquivar da fúria da moça. Fontes internas garantem que o tom beligerante, usado nenhum constrangimento diante de outras pessoas no evento de sábado, é só a ponta do iceberg. Dizem que o clima eleitoral contaminou diversos setores do governo e fez a pressão sobre os colaboradores subir, o que impôs jornadas de trabalho cada vez mais longas e recomendações expressas para que todo mundo se faça presente nos atos de campanha, além de ser “um multiplicador digital” em seus perfis pessoais nas redes sociais.

Ela de novo

Após a saída do secretário Luiz Caetano da Secretaria de Relações Institucionais do Governo do Estado (SERIN) para a coordenação da campanha do petista Jerônimo Rodrigues ao comando do Palácio de Ondina, muita gente no Governo do Estado tem apostado que o governador Rui Costa (PT) repetirá a fórmula praticada durante o seu segundo mandato. Apesar de vários rumores, não há substituto designado para a titularidade da pasta da articulação política. A Chefe de Gabinete, Elisa Pellegrini, segue responsável pela secretaria.
Essa não é uma novidade. Foi assim na Casa Civil, após a exoneração do então secretário Bruno Dauster, que estava no olho do furacão da crise decorrente da compra frustrada de respiradores no auge da pandemia da COVID 19.

Por hoje é só. Obrigado pela leitura. Eu sou Jones Almeida, volto na próxima quarta-feira com a coluna “Olho de Tandera“. Ligado em tudo.

Compartilhe