Salvador: Morar Melhor reforma mais de 200 casas em São Caetano

O Morar Melhor segue transformando a realidade de diversas famílias que vivem em imóveis cujas condições estéticas estão em situação precária. Desta vez, a comunidade Vila João Sales, em São Caetano, foi beneficiada com a entrega de 204 casas reformadas pelo programa, durante solenidade realizada pelo prefeito Bruno Reis e pelo secretário de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Júlio Santos, nesta terça-feira (3).

A iniciativa proporcionou mais dignidade aos beneficiários contemplados que não tinham condições financeiras de arcar com os custos das reformas de suas residências. Em São Caetano, o programa já havia contemplado 657 casas em outras ocasiões. De acordo com a Seinfra, outras 200 casas estão cadastradas para receber a ação.

Na ocasião, o prefeito Bruno Reis anunciou novidades no Morar Melhor. “Vamos iniciar a quarta etapa do programa em breve. Soltaremos licitação para reforma em mais 20 mil moradias. Já contratamos uma empresa pra dar continuidade aos cadastros e vamos fazer as melhorias, aumentando o limite para R$8,5 mil para cada intervenção. Serão cerca de R$170 milhões em recursos municipais investidos para isso”.

O chefe do Executivo municipal também ressaltou a importância da iniciativa para as pessoas mais carentes da cidade. “O programa consegue trazer o mais importante para o ser humano, que é viver com tranquilidade e dormir em paz. O Morar Melhor tem feito uma verdadeira transformação, preservando os cidadãos no mesmo lugar onde residem e proporcionando a todos mais qualidade de vida”, declarou Bruno Reis.

Moradora da Vila João Sales há quatro anos, Edilma Pinto dos Santos, 33 anos, não esconde a alegria em ver o lar totalmente reformado. Ela conta que, desde que saiu do emprego para cuidar da própria mãe, Maria de Lourdes, 55 anos, que possui deficiência visual há cinco anos, o orçamento ficou ainda mais apertado.

“Aqui molhava muito em dia de chuva, escorria água do telhado pela parede, era muito desconforto. Tinha que arrastar móveis, colocar balde pra aparar as goteiras. Já tinha ouvido falar do programa e fiquei feliz em ser contemplada, nem sabia que ia se tornar casa modelo”, contou. A transformação envolveu novas portas, reboco e pintura. “Agora é só alegria”, completou Edilma.

Funcionamento – O Morar Melhor é dividido em três fases: cadastramento, execução das obras e fiscalização. As melhorias são indicadas pelos próprios moradores e incluem reboco e pintura, recuperação ou troca de telhado, troca de esquadrias (portas e janelas) e instalações sanitárias. As intervenções em cada residência chegam até R$7 mil.

O cadastramento das residências é feito pelo próprio programa. Os critérios adotados são a precariedade dos bairros, baseado em dados do IBGE 2010; maior predominância de domicílios com alvenaria sem revestimento; maior predominância de pessoas abaixo da linha de pobreza, com renda per capita inferior a R$85; maior predominância de mulheres chefe de família; maior densidade habitacional e precariedade habitacional obtida pela observação de campo. Não são contemplados imóveis em situação de risco, imóveis de aluguel ou famílias que apresentem renda superior a três salários mínimos.

Desde que foi lançado, em 2015, o programa já reformou mais de 35 mil casas em mais de 200 localidades de Salvador.

Compartilhe