Senadores cobram ajuda federal no socorro a vítimas de enchentes na Bahia

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e os três senadores da Bahia se mobilizaram no socorro às famílias atingidas pelas fortes chuvas que atingiram 116 cidades das regiões sul e sudoeste do estado nas últimas semanas. Segundo a Defesa Civil, pelo menos 20 pessoas morreram e cerca de 31,4 mil estão desabrigadas (não possuem mais moradia) ou desalojadas (não conseguem acessar suas casas). De acordo com a Polícia Rodoviária Federal da Bahia (PRF-BA), dez estradas estão interditadas, incluindo a BR-101, uma das mais importantes do estado.

Para Pacheco, é fundamental a edição de uma medida provisória que libere imediatamente recursos para os municípios atingidos. Ele disse acreditar que isso será feito pelo governo federal.

— Manifesto minha solidariedade ao povo da Bahia que, assim como nós, mineiros, sofre com a tragédia ocasionada pelas fortes chuvas. Amparar vítimas e reconstruir as cidades: essas são as prioridades — declarou.

Estrutura

Assim que souberam dos problemas, Angelo Coronel (PSD), Otto Alencar (PSD) e Jaques Wagner (PT) uniram esforços para garantir assistência imediata à população atingida. Coronel informou que uma estrutura do governo do estado foi montada para que as providências sejam tomadas com agilidade. Nessa segunda (27), o Executivo baiano divulgou a abertura de uma linha de crédito especial, de até R$ 150 mil e com juro zero, para recuperar estabelecimentos comerciais prejudicados. Já o governo federal disse ter disponibilizado cerca de R$ 20 milhões da Defesa Civil Nacional para o enfrentamento da situação.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Coronel ressaltou o envolvimento direto de todos para o socorro às vítimas.

— No Senado, estamos à disposição para ajudar a minorar a dor dos baianos. Divergências políticas foram deixadas de lado e o poder público está unido para amenizar o sofrimento de toda a população atingida. Estamos deixando partidarismos de lado e partindo para realmente salvar vidas — disse.

Otto cobrou a atuação das Forças Armadas no socorro aos baianos. Em entrevista à Rádio Senado na segunda-feira, o parlamentar observou que calamidade assim são raras nessa época do ano na Bahia. E disse que a ação humana tem contribuído com a situação, porque a destruição da vegetação que protege as margens dos rios agrava o problema. O senador cobrou medidas do governo federal e disse que Marinha, Exército e Aeronáutica podem colaborar nos resgastes da população ilhada e na distribuição de água, comida e medicamentos.

— As Forças Armadas têm que dar suporte, então, é importante que o senhor presidente da República, a quem cabe a responsabilidade pela nação, disponibilize essa estrutura para ajudar o estado.

FAB

À Agência Senado, a Força Aérea Brasileira (FAB) informou que integra a cooperação mútua entre o Ministério da Defesa, o Ministério da Saúde e o Ministério do Desenvolvimento Regional na ajuda humanitária em apoio aos municípios atingidos. Segundo a Assessoria de Imprensa do órgão, no domingo (26) duas aeronovaves H-36 Caracal decolaram do Rio de Janeiro e de Natal com destino a Ilhéus (BA) para o transporte de pessoas e mantimentos.

Desde o início da situação de calamidade, aeronaves KC-390 transportaram mais de 45 toneladas de donativos alimentícios (perecíveis e não-perecíveis) para atender as populações mais atingidas pelas enchentes. Além disso, um avião C-130 Hércules transportou aproximadamente 2,5 toneladas de medicamentos.

“O Comando da Aeronáutica mantém um esforço contínuo e permanente de seu efetivo e de suas aeronaves em atendimento às necessidades da população das áreas afetadas, neste momento de necessidade”, afirma nota da FAB.

Solidariedade

Jaques Wagner destacou a solidariedade que tem marcado esses dias e disse que o trabalho segue intenso, com apoio de instituições como o Corpo de Bombeiros e de voluntários de todo o país. Nas redes sociais, o senador defendeu uma união de esforços “que ampare as pessoas, antes de tudo”.

“É tempo de união e solidariedade. Fiz questão de acompanhar de perto, em Ilhéus, os trabalhos da força-tarefa do estado para dar assistência às famílias. A prioridade deste momento é salvar vidas, com o resgate rápido nas áreas de riscos e entrega de mantimentos para garantir a sobrevivência das pessoas. Muitas autoridades do país estão mobilizadas, toda ajuda é muito bem-vinda. Vamos juntos somar esforços e superar esse momento difícil”.

Compartilhe