Bahia avança na regionalização dos serviços de saúde

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) tem realizado uma série de reuniões com representantes dos municípios baianos visando ao avanço na regionalização da Saúde, uma das principais agendas do governo. No sentido de otimizar os serviços já oferecidos e ampliar a autonomia, os municípios são orientados a regularizar as fichas de programação orçamentária (FPO).

“Nossa ideia é otimizar os serviços já existentes, que dispõem de estrutura física e pessoal, bem como atualizar a FPO para que os municípios recebam os recursos a que têm direito, via Programação Pactuada e Integrada (PPI). Dessa forma, poderemos identificar a vocação de cada município e a possibilidade de tornar referência regionalmente ou em caráter local”, afirma a secretária da Saúde do Estado, Tereza Paim.

Além de fortalecer a Atenção Básica nos municípios, a iniciativa tem o objetivo de ampliar a atenção à saúde regionalizada. A gestora explica que, “se cada um dos 417 municípios tiver um hospital, não será possível manter o custeio. Por isso, a proposta é regionalizar e atender a população com serviços de média e alta complexidade sem a necessidade de um grande deslocamento”.

Policlínicas Regionais de Saúde

Entre as iniciativas do Governo do Estado para mudança da realidade da assistência de média e alta complexidade na Bahia, está a construção das Policlínicas Regionais de Saúde. Já são 21 unidades em pleno funcionamento, atendendo a mais de 10 milhões de baianos de 389 municípios. Além da construção das unidades, o Estado é responsável por 40% da operação, enquanto os outros 60% são financiados pelos municípios, através dos Consórcios Interfederativos de Saúde, que administram as unidades.

Compartilhe