Confira a coluna ‘Olho de Tandera’ por Jones Almeida

Frente Ampla na esquerda

Esta tudo alinhado para o PT, PSB, PC do B formar a Frente Ampla para disputar as eleições de 2022. Para os socialistas e comunistas a iniciativa é um excelente negócio para preservar os espaços das siglas no legislativo. Com a junção, a expectativa dos trabalhadores é que, na Assembleia Legislativa, por exemplo, a sigla faça 9 deputados. Hoje o PT tem 10.

Apagando fogo com gasolina

Uma possível mudança no rol de tributos municipais em Madre de Deus causou um rebuliço na cidade e teve gente precisando se virar para explicar o inexplicável. Depois de vários apertos, até mesmo o Legislativo teve que desmentir que existia matéria em tramitação na Casa. Ou seja, se tinha fumaça, tinha fogo e correram para apagar depois do auê causado pelos ataques dos oposicionistas que estavam com a gasolina na mão.

Falha Nossa em Madre de Deus

Até a transmissão da sessão plenária teve instabilidades no Legislativo de Madre de Deus depois do tal incremento no Código Tributário. Com uma explicação mixuruca para justificar a falta de imagens, a Casa pediu suas “sinceras desculpas”. Como isso acontece até com a Rede Globo, a gente finge que acredita e voltamos à programação normal.

Novos filiados no PT?

Por falar no PT, a sigla tem sido paquerada por deputados e lideranças de outras siglas para disputar as eleições do próximo ano. Petistas, por sua vez, estão insatisfeitos com o movimento. Temem que lideranças dos trabalhadores percam o mandato na disputa (linha de corte) com os eventuais novatos. Entre os que almejam vestir a camisa do PT, estariam os deputados Roberto Carlos e Euclides Fernandes. Há rumor de que o deputado Vitor Bonfim também almeje filiação. Caso isso se concretize, estariam ameaçados, com possibilidade de não renovar seus mandatos, os deputados Jacó, Marcelino Galo, Maria Del Carmen e Bira Coroa.

Tábua de salvação

A Frente Ampla, federação que pode envolver partidos da esquerda, é vista como tábua de salvação para evitar o ingresso de políticos “non grato” no Partido dos Trabalhadores. É que eles podem ingressar entros siglas que participem do movimento e, assim, ajudem a salvar os mandatos dos petistas ameaçados.

Insatisfação na base

Por falar nesse imbróglio envolvendo o PT, o presidente da sigla na Bahia é alvo de “grande” insatisfação de 8 a cada 10 petistas. As queixas são generalizadas e, dizem, o que salva Eden Valadares é o seu padrinho político: o senador Jaques Wagner. No PT existe até comparação com a gestão municipal do partido, até pouco tempo exercida por Ademário Costa. Dizem as más línguas que Costa “botou” Valadares no bolso com sua administração “raiz”.

Neto x Wagner

É de se estranhar que os principais pré-candidatos ao governo da Bahia no ano que vem, ACM Neto (DEM) e Jaques Wagner (PT), não tenham ainda levado uma multinha por propagando antecipada. Já tem músicas rodando as cidades do interior, por exemplo. Além disso, as atividades de ambos os políticos estão se acentuando: Neto indo para atividades eleitorais programadas e Wagner participando de todas as inaugurações do governo estadual ao lado de Rui Costa e companhia.

Chuvas e perrengue na Chapada

A Chapada Diamantina é conhecida por suas belezas naturais, seu povo acolhedor e por muita história. No entanto, tem sido também palco de inúmeros perrengues. Mesmo antes das chuvas, a BR-242, que corta a região, por exemplo, estava deteriorada com buracos imensos causando acidentes, deixando motoristas na pista e com prejuízos. Além disso, as cidades também foram afetadas. Em Itaberaba, duas pessoas morreram por causa da tempestade que atingiu a Chapada na semana passada.

Voando

Enquanto tem quem reclame e tema até não conseguir se releeger na próxima eleição, Ivoneide Caetano está voando. Esposa do secretário de relações institucionais, Luiz Cateano, a petista acionou o “modo correria” e promete, no PT, ser a grande revelação eleitoral do próximo período. Sabe quem está rindo a toa com isso? Ele mesmo, o simpatia.

Santa Bárbara

No dia de Santa Bárbara, no sábado 4, quase que um milagre era operado no município que abre caminho para região sisaleira. É que na Igreja da Matriz foram assistir a missa o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, e o ministro da Cidadania, João Roma. Estiveram separados, um na esquerda, outro na direita da primeira fila. Mas chamaram atenção, Neto sendo o mais paparicado para fotos. A cena logo motivou burburinhos. Será que ACM Neto e João Roma, seu ex-chefe de gabinete, vão selar as pazes e caminhar juntos? Ambos tem amigos comuns, que os unem. Mas o ministro da Cidadania logo tratou de impor condicionante: apoiar a reeleição do presidente Jair Bolsonaro. Aí a coisa complicou.

Santa Bárbara com raios e trovoadas

Fala-se que o pároco da Paróquia de Santa Bárbara município famoso por suas iguarias e devoção a Santa, ficou preocupado com o raios lançados de ambas as partes de Robertinha de Roma e de ACM Neto. Foi tanta confusão que só restou ao pobre lançar água benta e pedir paz, pois a coisa ficou feia…

Ativaram o modo Pela Bahia

Por falar em ACM Neto, os apoiadores do democrata também ativaram o modo “Pela Bahia” e mergulharam em articulações para garantir mais apoio a sua campanha ao Governo da Bahia. Dizem que as expectativas são as melhores e que “Neto vai bem obrigado”.

Ponte Salvador x fica

Fica no papel, ao que tudo indica, o sonho de iniciar a obra de construção da ponte Salvador- Itaparica esse ano. Desejo do vice-governador João Leão, PP, encontra dificuldade não só na burocracia como também nas altas sucessivas do preço dos insumos da construção civil, especialmente o ferro. Quando o ano virar, contudo, a oposição ao governo do estado deve bater forte na pauta.

Leão governador

Por falar em João Leão, o desejo do bonitão de governar a Bahia pode se concretizar. Não é papai noel, mas quem deve ser decisivo para a realização desse sonho é o senador Jaques Wagner. Ele deve aparar as arestas do grupo no inicio do ano e garantir o arranjo. Rui, assim, poderá assumir a coordenação da campanha de Wagner na Bahia e de Lula no Nordeste.

Ré… Publicanos…

Parece que na turma da igreja o “Romano” não tem aprovação, fala-se que o secretário de infraestrutura já estaria se aquecendo para entrar em campo no lugar de Marinho, pois o jogo é Marinho no Senado e Luiz Carlos em BSB, com as bênçãos de ACM Neto.

PDT quer mais espaço

Com as conversas avançadas de Lupi e Lula já se falam que foi por água a baixo a pretensão do deputado pedetista de ir para majoritária. Por outro lado, fala-se que é tanta ligação para Bruno Reis pedindo mais espaço que pode sobrar para a vice prefeita Ana Paula assumir a Secretária de Saúde, pois Décio de Léo não agradaria o deputado federal do PDT. Já Ana, seria bem vindo e controlaria o tamanho de Leo.

PL lá, PL cá…

Com a filiação de Bolsonaro ao PL cresce as chances de Kátia Bacelar assumir a presidência da turma de Valdemar aqui na Bahia. O apoio a Roma não será fácil. O deputado Jonga Bacelar o “Jonguinha” já deu o recado:
“Estamos com Bolsonaro nacionalmente, mas na Bahia vamos analisar o jogo direitinho, queremos fazer bancada e não servi de remendo”

O Rei da emenda

Por falar em PL o que se comenta na Bahia é que se for por emenda “Vitor de Roma” é o campeão, o jovem príncipe Romano já desperta ciúmes até de deputado federal com mandato. É tanto prestígio que até o terno da posse ele já ganhou…

Indigestão

As declarações elogiosas do presidente estadual do Podemos na Bahia, o deputado federal Bacelar, sobre o ingresso do ex-juíz Sérgio Moro na sigla, não foram bem digeridas pelos petistas no estado.
O Podemos está na base do governador Rui Costa, que tem o irmão do deputado, o secretário de Turismo, Maurício Bacelar, no primeiro escalão do governo petista.

Para muitos dirigentes do PT, o governador Rui Costa foi extremamente generoso com a nomeação de um quadro do fragilizado do Podemos no seu secretariado.

Moro foi o algoz do ex-presidente Lula, o condenando a prisão e inelegibilidade em processos nos quais, não tinha se quer competência para julgar o ex-presidente.

Fontes ouvidas por esta coluna, enxergam nas declarações de Bacelar, uma manobra desesperada para manter o controle sobre a sigla no estado, algo pouco provável, diante da virtual candidatura presidencial de Moro e sua inevitável necessidade de construir palanques estaduais.

Cadê a máscara?

Nem a variante Ômicron da Covid-19 faz o ex-secretário de saúde da Bahia e pré-candidato a deputado federal Fábio Vilas Boas usar máscara. Cuidado com os genocidas.

Eu sou Jones Almeida e volto na próxima quarta-feira com a coluna “Olho de Tandera“. Ligado em tudo.

Compartilhe