O compromisso que assumimos com a Bahia hoje é o de desenhar um plano para o futuro”, diz ACM Neto

Ex-prefeito de Salvador lançou nesta quinta-feira (2) sua pré-candidatura ao governo do estado

O ex-prefeito de Salvador ACM Neto lançou nesta quinta-feira (2) sua pré-candidatura ao Governo da Bahia e afirmou que o compromisso assumido com o estado hoje é o de desenhar um plano para o futuro, com uma gestão inovadora, criativa, moderna, digital, arrojada e resiliente. O evento foi realizado no Centro de Convenções de Salvador e conta com a presença de representantes dos 417 municípios da Bahia, além de lideranças estaduais e nacionais.

“O compromisso que assumimos com a Bahia hoje é o de desenhar um plano para o futuro. Um plano ambicioso de crescimento econômico, geração de emprego e duro enfrentamento às desigualdades sociais e regionais. O compromisso de transformar nosso estado num exemplo de segurança pública para o país; o compromisso de recuperar o tempo perdido na educação e disputar os primeiro lugares do IDEB; o compromisso de trabalhar sem descanso para dar mais dignidade ao atendimento à saúde, evitando a cruel espera por exames, consultas e cirurgias, assim como os penosos deslocamentos dos doentes para a capital”, afirmou.

Em seu discurso, Neto lembrou de sua trajetória política, dos três mandatos como deputado federal, da eleição dura enfrentada para a Prefeitura de Salvador e do contexto em que assumiu a gestão municipal. Disse que há, sim, avanços nos 15 anos de governos do PT, mas destacou os problemas deixados pelas gestões petistas, destacando educação e segurança pública.

“Somos campeões da violência e lanterninhas na Educação. Vejam que absurda inversão de valores. Não é mera coincidência que a Bahia seja campeã nacional dos homicídios e esteja na rabeira do ranking da Educação. Estas duas realidades estão obviamente conectadas. Também não é coincidência que as greves de policiais e de professores tenham ficado gravadas em nossa memória como marcas dos governos de Jaques Wagner”, disse.

Neto citou ainda o abandono da lavoura cacaueira, o descaso com a cultura e o turismo, os problemas com acesso à água, a não vinda da prometida JAC Motors e a perda da Ford. “Infelizmente não se trata só da Ford. É extensa a lista de indústrias fechadas em nosso estado nos últimos anos. A verdade é que a nossa decadência econômica estava acontecendo muito antes da pandemia. O PIB baiano já chegou a representar 38% do PIB da região Nordeste. Hoje representa apenas 28%. Uma queda de 10 pontos percentuais. Cada ponto percentual significa milhares de postos de trabalho perdidos. Significa menos empregos para a nossa gente”, disse.

Ele ainda criticou a transferência de responsabilidade das autoridades estaduis para lidar com os problemas, a exemplo da segurança pública. Em referência ao governador de Goiás, Ronaldo Caiado, que estava no evento, recordou que o estado conseguiu reduzir os índices de violência, enquanto a Bahia só vem tendo aumento.

Educação e segurança
ACM Neto disse que educação será sua prioridade e que, na segurança, irá enfrentar o crime com todo o rigor da lei. “A Educação será nossa prioridade número um. Trabalharemos nos diversos níveis, com obsessão pela qualidade do ensino e foco na expansão do ensino de tempo integral”, disse

“E para fazer frente ao atual cenário de total desgoverno na segurança pública, vamos enfrentar o crime com todo o rigor da lei e com inteligência. Sem abusos, porém com muita firmeza. E prestem bem atenção no que eu vou dizer: todos os exemplos bem-sucedidos de redução dos índices de criminalidade, no Brasil,/ têm um fator em comum: a liderança, o comando e o exemplo do governador. Pois é com liderança, firmeza, inteligência, integração, valorização e qualificação dos nosso policiais que vamos devolver a paz aos cidadãos de bem e transformar a Bahia num estado onde o crime não compensa, e bandido não tem vez. Lugar de bandido será na cadeia ou fora da Bahia”, ressaltou.

Neto ainda alfinetou as gestões petistas no discurso, ao citar promessas não cumpridas e que seguem sendo prometidas. “Um caminho é o das promessas fáceis, bonitas, sedutoras, mas muitas vezes não cumpridas. O caminho de quem garantiu que faria, mas nunca tirou do papel a tão prometida ponte Salvador-Itaparica. O caminho de quem mesmo com o total apoio e a amizade de um presidente da República petista não conseguiu a duplicação da BR 101 na Bahia, enquanto essa mesma estrada era duplicada de Pernambuco ao Rio Grande do Norte”, afirmou.

“A Bahia é como um carro andando com o freio-de-mão puxado. Ele até vai pra frente. Mas vai se arrastando. Vai numa velocidade muito menor do que o motor do carro permitiria. E aí fica a pergunta, será que em 2022 a troca de pilotos por parceiros da mesma equipe irá mudar esse quadro? Aliás, o piloto que eles querem colocar novamente na direção do nosso estado já foi testado, e, aqui entre nós, está longe de ter a fama de saber pisar fundo no acelerador”, acrescentou.

Projeto
ACM Neto citou ainda o movimento Pela Bahia, por meio do qual tem percorrido o estado e feito um diagnóstico dos desafios para o futuro, ouvindo população e lideranças políticas dos municípios baianos. “Deste exercício genuíno de escuta está nascendo nosso programa de governo. Vamos traduzir as necessidades e os sonhos dos baianos em propostas e projetos consistentes. Vamos promover o encontro entre as prioridades dos baianos e a tecnologia, entre os sonhos e as soluções inovadoras que nos permitirão caminhar com passos firmes para o futuro”, pontuou.

“Nós estamos aqui, hoje, para firmarmos um pacto, para selarmos um compromisso. Compromisso de dedicação, de obstinação e de máximo empenho na construção de um novo caminho para a Bahia, de um novo futuro para os baianos. E eu tenho a mais firme convicção de que a nossa candidatura pode trazer um novo momento para a Bahia”, frisou.

Neto lembrou de quanto foi eleito prefeito de Salvador e citou pontos sobre o trabalho na capital, destacando que o legado deixado não está nos cartões postais. “Bem, eu só tinha um pensamento na cabeça: eu não posso e não vou decepcionar essas pessoas! Eu não vou decepcionar Salvador! Graças a Deus, com oito anos de trabalho incansável, conseguimos dar a volta por cima. Hoje Salvador é outra cidade, mesmo reconhecendo que ainda há muito trabalho pela frente”, disse.

“Neste momento,/ eu quero acentuar que a grande transformação de Salvador não está nos nossos cartões postais. A grande transformação de Salvador está na dignidade das quase 40 mil famílias que tiveram suas casas reformadas pelo Morar Melhor. Está no trabalho de contenção de centenas de encostas. Está no primeiro hospital municipal da nossa história; em multiplicar por 10 o número de UPAs; na universalização do acesso à pré-escola; na melhoria expressiva do IDEB das escolas municipais. Está nas novas ruas e avenidas; nas obras de drenagem e requalificação que mudaram inteiramente lugares como o Vale das Pedrinhas. Está em programas sociais inovadores, como o Primeiro Passo e o Salvador por Todos”, salientou.

Compartilhe