Rui descarta rompimento com Leão mas vê aliança com PP ameaçada com filiação de Bolsonaro

Na solenidade que autorizou investimentos de R$ 100 milhões para construção de 3 novas escolas em tempo integral, em Salvador, nesta quarta-feira, 13, o governador Rui Costa disse que o ingresso do presidente Jair Bolsonaro no PP seria uma “tragédia” e que a novidade obrigaria uma nova compactação em sua base política, uma vez que a manutenção da aliança com os progressistas ficaria ameaçada. Nas entrelinhas, o arranjo combinado com o vice-governador João Leão seria a migração dos filiados do PP para outra sigla. A Bahia é um dos principais redutos de rejeição a Bolsonaro no Brasil, fato que deixa deputados baianos do PP “aflitos”.

“Se isso se materializar a situação fica muito complicada em uma aliança na chapa majoritária com o PP. Não é fácil. Espero que isso não se materialize, mas se materializando isso não é fácil. Aí nós vamos ter que discutir alternativas”, ponderou Rui. “Acho que os parlamentares do PP não desejarão estar ao lado de alguém que tenha 80% de rejeição na Bahia”, comentou. “Esse eleitores do Bolsonaro não votam nos parlamentares do PP, eles não ganharão esse voto, então é muito arriscado para os parlamentares, vou buscar Leão e a direção do PP para conversar”, concluiu o governador, que descarta qualquer possibilidade de rompimento com o grupo organizado pelo vice-governador João Leão.

Por Felipe Castilho

Compartilhe