Brasil tem média móvel de mortos por Covid-19 abaixo de 1.000 pela 1ª vez desde janeiro

Dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde mostram que índice ficou em 989 óbitos neste sábado; mais de 556 mil já perderam a vida desde o início da pandemia

A média móvel de mortos pela Covid-19 no Brasil dos últimos sete dias ficou abaixo de 1.000 neste sábado, 31, pela primeira vez desde o fim de janeiro, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). O país registrou 910 novos óbitos nas últimas 24 horas, o que levou a média móvel para 989. A última vez que a média ficou abaixo de quatro dígitos foi no dia 20 de janeiro, quando fechou em 981. Naquele dia foram registradas 1.340 mortes pelo novo coronavírus. Desde o início da pandemia, 556.370 pessoas perderam a vida para a doença. A média móvel é o resultado da soma do número de mortes nos últimos sete dias dividido por sete.

O Ministério da Saúde afirmou neste sábado que o país alcançou a marca de 100 milhões de pessoas imunizadas ao menos com a primeira dose da vacina contra a Covid-19. O número representa 62,5% do público-alvo de 160 milhões de brasileiros acima de 18 anos. Já o número de pessoas que receberam as duas doses subiu para 40 milhões, 25% do público-alvo. “Estamos cada vez mais próximos de chegar na nossa meta: até setembro, 100% dos adultos estarão vacinados com a primeira dose. E, até o final do ano, todos estarão imunizados”, informou a pasta.

Segundo o ministério, o governo já encomendou mais de 600 milhões de doses contra a Covid-19 até o fim deste ano. Até o momento, mais de 184 milhões de doses foram distribuídas a todos os Estados e o Distrito Federal. Em um evento na manhã deste sábado, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, destacou o avanço da campanha de imunização. “Mais de 600 milhões de doses de vacinas me permitem assegurar que agora, em setembro, toda população brasileira acima de 18 anos estará imunizada contra a Covid-19.”

Compartilhe