Queiroga revoga nomeação de médica favorável à cloroquina

Mara Regina Cordeiro Pezzino havia sido nomeada para o cargo de diretora do Hospital Federal de Ipanema, no Rio de Janeiro

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revogou a nomeação da médica Mara Regina Cordeiro Pezzino para o cargo de diretora-geral do Hospital Federal de Ipanema, no Rio de Janeiro. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (21).

Mara havia sido nomeada na terça-feira (20). Ela é uma das signatárias do manifesto publicado pelo grupo Médicos Pela Vida. A organização conta com mais de 200 profissionais da saúde parceiros que receitam medicamentos sem comprovação de eficácia contra a Covid-19, como hidroxicloroquina, azitromicina e ivermectina.

Os atendimentos são realizados por telefone, WhatsApp ou presencialmente. A foto de perfil de Mara no Facebook conta com selo que diz: “Eu apoio o tratamento precoce e preventivo, está salvando vidas”.

Mara Regina, em dezembro do ano passado, afirmou em uma rede social que não se vacinaria contra a Covid-19. Recentemente, ela questionou a eficácia da vacina ao comentar uma publicação de que o senador Otto Alencar (PSD-BA) teria se infectado com a Covid-19 após ser vacinado. “Ué, pra que serve essa coisa que ele tomou?”, publicou.

O Hospital Federal de Ipanema (HFI), vinculado ao Ministério da Saúde, oferece serviços de média e alta complexidade. É referência em diversas especialidades como cirurgia-geral, urologia, ginecologia, oftalmologia, oncologia, neurocirurgia, plástica reparadora e ortopedia. Na área clínica, algumas referências são a pneumologia, a dermatologia e a infectologia.

Compartilhe