Barroso, presidente do TSE, diz que voto impresso criará “caos”

Ministro do Supremo ainda afirmou que, se aprovado, votação impressa criará judicialização do processo eleitoral

Em entrevista à GloboNews, o presidente o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (TSF), Luis Roberto Barroso, defendeu a votação eletrônica. “Nós vamos criar o caos em um sistema que funciona muitíssimo bem”, diz.

Barroso, no entanto, não condena a comissão especial criada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) para discutir a proposta de emenda à Constituição (PEC), da deputada Bia Kicis (PSL-DF), que determina a votação impressa. A PEC obriga o uso de votos em papel na votação e na apuração de eleições, plebiscitos e referendos no Brasil.

O presidente do TSE afirma que, em uma democracia, “nenhum tema é tabu”.

Para Barroso, a desconfiança no sistema de votação pode ser resultado da falta de conhecimento sobre o sistema, uma vez que o processo pode ser auditado e conferido na sua integridade.

O presidente do TSE ressaltou que o voto impresso criaria “caos” e “ampla judicialização” do resultado eleitoral.

“O Brasil tinha, nas últimas eleições que eu presidi, quase 500 mil candidatos. Você imagina se um terço deles resolver questionar o resultado e pedir conferência judicial dos votos. Nós vamos criar o caos no sistema que funciona muitíssimo bem”

Por fim, com o exemplo dos Estados Unidos, Barroso afirmou que a votação impressa permitiria que os candidatos que não fossem eleitos alegassem que houve fraude no processo, o que seria “problemático”.

Compartilhe