Biden reforça importância econômica do combate às mudanças climáticas

O presidente dos EUA afirmou que, além de ajudar a conter os efeitos do aquecimento global, investir em energia limpa e renovável é uma forma de gerar empregos e fortalecer a economia

A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, abriu nesta quinta-feira, 22, a Cúpula de Líderes sobre o Clima, primeiro grande evento comandado pelo presidente Joe Biden. Cerca de 40 países confirmaram presença que, pela pandemia de Covid-19, vai acontecer por videoconferência. Em seu discurso de abertura, Kamala defendeu uma ação “rápida e conjunta” dos países para combater as mudanças climáticas. “Como uma comunidade global, é imperativo que nós possamos agir de forma rápida e conjunta para confrontar essa crise. E isso vai requerer inovação e colaboração ao redor do mundo”, disse Kamala. A vice-presidente também ressaltou a importância de se investir em energia limpa e renovável. “Isso vai dar às nações a oportunidade de construir comunidades mais saudáveis e economias fortes”, acrescentou. Em seguida, a vice-presidente passou a palavra a Joe Biden, a quem ela chamou de pessoa “mais comprometida” a alcançar esses objetivos.

O presidente dos EUA afirmou que, além de ajudar a conter o aquecimento global, investir em energia limpa e renovável é uma forma de gerar empregos e fortalecer a economia. “Nós temos uma oportunidade extraordinária de criação de empregos e oportunidades econômicas com energia limpa. Nós devemos agir agora não só no âmbito do governo federal, mas nas cidades, nos Estados, em todo o país, nas pequenas empresas, grandes, corporações e trabalhadores de todas as áreas. Eu vejo uma oportunidade de criar milhões de empregos sindicalizados”, disse. Segundo Biden, os bons empregos virão de uma sociedade mais resiliente e competitiva. O mandatário norte-americano ressaltou que essa é a década decisiva para evitar as piores consequências da crise climática. “Esse encontro é o primeiro passo para viajarmos juntos nessa jornada. A saúde das comunidades em todo o mundo dependem disso. O bem-estar dos nossos trabalhadores dependem disso. A força das nossas economias também”, completou.

Compartilhe