Prefeitura de Salvador lança ferramentas para agilizar vacinação contra Covid-19

Desde quando o processo de vacinação contra o coronavírus teve início no país, em janeiro, Salvador tem se destacado entre diversas cidades na estratégia de aplicação dos imunizantes. E para agilizar ainda mais esse processo, a Prefeitura lançou mais duas ferramentas virtuais: o site Hora Marcada, para idosos que tomarão a dose de reforço da vacina, e o cadastro de vacinação para pacientes com comorbidade. As novidades foram apresentadas pelo prefeito Bruno Reis nesta quarta-feira (14), em coletiva virtual no Parque de Exposições.

O Hora Marcada pode ser acessado no link www. vacinahoramarcada. saude. salvador. ba. gov.br e vai trazer mais comodidade à população da terceira idade, público-alvo da campanha de imunização. “Isso vem para se somar à Vacina Express, drives e pontos fixos. O objetivo é evitar que os idosos peguem filas, além de ajudar na garantia da aplicação da segunda dose. Não apenas aqui na cidade, mas no Brasil como um todo, há casos de pessoas que não têm retornado para tomar a dose de reforço”, explicou Bruno Reis, ao lado da vice-prefeita Ana Paula Matos e do titular da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Leo Prates. Atualmente, Salvador possui mais de 7 mil pessoas que não compareceram para receber a dose de reforço.

O prefeito ressaltou os esforços para acelerar a imunização na cidade, que tem se destacado no país. “O Ministério da Saúde colocou Salvador em primeiro lugar entre as capitais do Brasil nas aplicações da primeira e segunda dose da vacina contra o coronavírus. Esse é um marco importante, resultado de um trabalho sério que nossa equipe vem fazendo”.

Passo a passo – O processo de agendamento para aplicação da segunda dose em idosos é feito de forma simples e prática. Ao acessar o link, é necessário preencher os dados pessoais, escolher o local, data e hora para ser vacinado. Em seguida, o site gera um QR-code no comprovante de agendamento. Basta, então, comparecer ao local selecionado para vacinação com o comprovante. Estarão disponíveis para atender nesse modelo mais 25 unidades de saúde e um drive-thru, dentro da estrutura que normalmente tem sido disponibilizada.

Cadastro – Salvador já está finalizou a primeira fase da campanha de vacinação, que abrangeu trabalhadores de saúde que atuam na linha de frente no combate à Covid-19, pessoas acima de 75 anos, idosos em instituições de longa permanência, bem como povos indígenas e quilombolas. Com a segunda etapa praticamente concluída, que alcança idosos acima de 60 anos, Salvador deve iniciar, a partir da próxima semana, a terceira fase da mobilização, para pessoas com comorbidades e doenças crônicas.

Para alcançar este público, a Prefeitura lançou o site www. comorbidades. saude. salvador. ba. gov. br, voltado para pacientes atendidos em unidades particulares de saúde, residentes de Salvador e que possuem 18 a 59 anos – pessoas acima desta idade já estão sendo contempladas nos grupos de idosos. De acordo com o prefeito, cidadãos atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) já possuem cadastro.

O preenchimento dos dados será feito pelo médico que acompanha o paciente. O profissional de saúde deve entrar no link com os mesmos login e senha usados no Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb) e fazer o próprio cadastro.

A etapa seguinte é inserir os dados pessoais do paciente e selecionar em qual comorbidade o paciente se enquadra, conforme as definições do Plano Nacional de Operacionalização da vacinação para prevenção do Sars-CoV-2 – essas diretrizes também podem ser consultadas na portaria municipal 170/2021.

Feito isso, o paciente estará cadastrado e se incluirá nos grupos com comorbidades para a imunização. Esses dados se somarão ao quantitativo de pacientes atendidos no SUS

Ordem – A Comissão de Intergestores Bipartite (CIB), que reúne representantes das secretarias municipais e estadual de saúde, definiu a ordem de escalonamento dos grupos na Bahia, levando em conta o risco de exposição dos pacientes à Covid-19. Em primeiro lugar estão as pessoas com doenças renais crônicas em tratamento de hemodiálise, cuja população estimada é de 9.845 pessoas.

Em seguida vem pacientes com Síndrome de Down (3.793), transplantados (1.721), imunossuprimidos (27.027), pessoas com outras doenças renais crônicas (4 mil), pneumopatias crônicas graves (212.457), doenças cardiovasculares (78.270), obesidade mórbida (17.051), doença cerebrovascular (41.615) e doenças hepáticas crônicas/cirrose hepática (4.846). Os números de indivíduos de cada grupo levam em consideração apenas quem é assistido no SUS, devendo crescer mediante o cadastramento de pacientes atendidos na rede privada.

Compartilhe