Butantan suspende envase da CoronaVac por falta de insumos

Instituto esclareceu que produção da vacina não foi interrompida e que ‘todas as doses provenientes do IFA chinês já foram envasadas’; expectativa é que nova remessa chegue na próxima semana

O Instituto Butantan suspendeu o envase de novas doses da CoronaVac após o estoque de insumos acabar. A informação foi confirmada pela Jovem Pan junto à assessoria do Instituto na noite desta quarta-feira, 7. Em comunicado divulgado à imprensa, o Butantan esclareceu que a produção da vacina contra a Covid-19 não foi interrompida e que “todas as doses provenientes do IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) recebido da China já foram envasadas”. O instituto afirmou, ainda, que, com a nova remessa de IFA, que deverá ser entregue na próxima semana, “será possível integralizar todas as 46 milhões de doses referentes ao primeiro contrato com o Ministério da Saúde até o dia 30 de abril”. O comunicado encerra dizendo que, desde janeiro, 38,2 milhões de doses da vacina foram entregues ao Plano Nacional de Imunização (PNI).

Durante entrevista coletiva concedida na tarde desta quarta, o diretor do Butantan, Dimas Covas, explicou que uma nova remessa com seis mil litros de IFA atrasou e só chegará ao Brasil na semana que vem. “Aguardamos a chegada de mais matéria-prima da China nos próximos dias para iniciar a fase final desse contrato de 46 (milhões de doses) e já iniciar a fase final de 56 milhões de doses. Estamos aguardando a chegada de seis mil litros (de IFA) que originarão 10 milhões de doses de vacinas. É importante mencionar que esta chegada estava prevista para essa semana e houve um atraso. Nós aguardamos para a próxima semana”, afirmou Covas, que continou, explicando as ações tomadas pelo Governo do Estado sobre o episódio. “Estamos fazendo ai todo um movimento junto à Sinovac e o governador fez ontem um movimento junto ao embaixador da China no Brasil e teve total apoio. Nós estamos trabalhando a todo vapor para que esse cronograma seja mantido e até adiantado”, concluiu o diretor do Butantan. Apesar da expectativa para a entrega na semana que vem, nem Dimas nem governador João Doria (PSDB) precisaram uma data para o recebimento dos insumos.

Compartilhe