Bolsonaro admite conversas com Partido da Mulher Brasileira

No fim da tarde desta segunda-feira (8/3), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) admitiu que está em conversas com o Partido da Mulher Brasileira (PMB), sigla que atualmente não possui representação no Congresso Nacional.

“Tem vários partidos. O da mulher também está conversando comigo, vários partidos têm conversado e eu tenho que dar um passo bastante seguro. Eu não estou pensando em reeleição, eu estou pensando no Brasil”, disse ele ,em entrevista à CNN Brasil, ao ser questionado se cogita se filiar à sigla.

Mais cedo, o mandatário disse estar “namorando” partido do qual viraria “dono” se a relação avançar. Trata-se de uma alternativa, caso a sigla que pretende fundar, a Aliança pelo Brasil, não saia do papel.

Sem partido há mais de um ano, o presidente é cortejado por diversas legendas, como o próprio PMB, além de PTB, PL, PP e Patriota.

O chefe do Executivo federal anunciou intenção de fundar uma agremiação própria em novembro de 2019, quando deixou o PSL — partido pelo qual foi eleito em 2018 —, após divergências com um grupo de parlamentares e o presidente nacional da sigla, o deputado federal Luciano Bivar (PE).

Para registro de um partido no Brasil, são necessárias 491.967 assinaturas. Até o momento, não foi apresentado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o número mínimo de assinaturas para a Aliança pelo Brasil. Em função das dificuldades em reunir os apoios, Bolsonaro já disse que terá que optar por outra sigla até março.

A legislação eleitoral determina que o candidato precisa se filiar a uma legenda até seis meses antes do início do primeiro turno, que ocorre no primeiro domingo de outubro.

Compartilhe