Adolfo Menezes diz que “vidas importam mais que economia“, ao apoiar medidas restritivas tomadas por Rui Costa e Bruno Reis

Chefe do Legislativo estadual alerta para iminente colapso na saúde

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia – ALBA, deputado Adolfo Menezes disse hoje (01.03) que salvar vidas importa muito mais do que proteger a economia neste momento, apoiando incondicionalmente as medidas restritivas de funcionamento do comércio e dos serviços adotadas pelo governador Rui Costa e pelo prefeito Bruno Reis. “Ninguém gosta de tomar medidas desta natureza, fechando o comércio e impondo o toque de recolher, mas quero saber quem vai assumir a responsabilidade na hora em que Salvador se tornar uma nova Manaus? Um homem público tem que ter coragem e, sobretudo, assumir a defesa da vida, porque morto não compra, não consome, não faz mais nada. Portanto, até para a economia, a vida é mais importante”, disse o chefe do Legislativo baiano, em apoio ao lockdown imposto até às 5h da próxima quarta-feira.

Para Menezes, os governadores e os prefeitos estão tentando salvar um mínimo de compaixão para com a vida dos brasileiros em meio ao caos instalado pelo Governo Federal no combate à Covid-19. “Estamos nos aproximando de 300 mil mortes de brasileiros e o que mais será preciso para convencer os terraplanistas e negacionistas? O presidente americano Biden comemora hoje a aprovação da vacina, em dose única, da Johnson & Johnson, com a compra de 100 milhões de doses até Junho. O mundo já comprou 800 milhões de doses, enquanto o Brasil não fez nada até agora, embora o imunizante já tenha sido testado aqui”, critica Menezes.

Além de manter em modo remoto, através do sistema home office, o funcionamento da ALBA até quarta-feira, o presidente da ALBA preferiu não confirmar para este mesmo dia – por causa de entendimentos entre os líderes Rosemberg Pinto (PT) e Sandro Régis (DEM) – a realização de sessão virtual para apreciação do projeto de Lei que prevê a contratação de operação de crédito interno, no valor de R$ 500 milhões, junto ao Banco do Brasil, para investimentos em saneamento através da Embasa.

Compartilhe