PSDB frustra Doria e mantém Bruno Araújo presidente do partido

A decisão, tomada pela Executiva Nacional, escancara a falta de apoio majoritário a Doria dentro do próprio partido

O PSDB anunciou, nesta sexta-feira (12/2), que Bruno Araújo permanecerá no comando do partido até maio de 2022. A decisão foi tomada pela Executiva Nacional da legenda, que referendou ofício assinado pelos presidentes de diretórios estaduais e pelas bancadas na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

A manutenção de Araújo no comando da sigla é uma derrota para o governador de São Paulo, João Doria (SP), que trabalhava para assumir o posto de presidente do partido. A decisão escancara a falta de apoio unânime a Doria dentro do próprio partido.

João Doria comprou briga com parlamentares do partido após pedir o afastamento do deputado federal Aécio Neves (MG) da legenda e tentar tomar o controle da sigla para fortalecer a própria pré-candidatura ao Planalto. A proposta foi feita na noite de segunda-feira (8/2), em um jantar no Palácio dos Bandeirantes com líderes do partido.

Na ocasião, questionado se ele atribuía ao parlamentar mineiro supostas traições de tucanos na eleição de Arthur Lira (PP-AL), candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, para a presidência da Câmara dos Deputados, Doria disse entender que o PSDB não deve abrir espaço para comportamentos desse tipo.

O pedido não repercutiu positivamente dentro do PSDB. Após Doria sugerir afastamento de Aécio e ventilar seu próprio nome para assumir o comando da sigla, deputados federais da legenda divulgaram nota para manifestar apoio ao atual presidente, Bruno Araújo.

“Os parlamentares estão certos de que, com a decisão, o partido seguirá mantendo a democracia interna e a convergência na busca de soluções para que o país possa vencer a pandemia e retomar o crescimento com justiça social”, dizia o comunicado divulgado.

Assinam a nota 23 dos 33 deputados da bancada na Câmara, entre eles, Aécio Neves (MG), que tem uma relação conturbada com Doria há anos.

Compartilhe