“Rapaz, não tem briga nenhuma”, diz Bolsonaro sobre disputa entre ministros

Presidente negou desentendimentos no governo neste domingo (25/10) após fazer um passeio de moto com o ministro Luiz Eduardo Ramos

O presidente Jair Bolsonaro reforçou o prestígio político do ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, na manhã deste domingo (25/10), ao sair para um passeio de moto com o general.

A dupla, acompanhada do ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto, e de uma comitiva de motoqueiros, deixou o Palácio da Alvorada, por volta das 10h, dirigindo-se até o posto Colorado, próximo à Sobradinho, onde tomaram um café. O presidente também comeu uma pamonha.

Ao ser interpelado pela imprensa, o presidente disse que não falaria. “Não tem conversa, vocês deturpam tudo que eu falo”. Em uma segunda parada, na Feira Permanente do Cruzeiro, o chefe do Executivo, negou o conflito entre os dois integrantes do primeiro escalão: “Rapaz, não tem briga nenhuma”.

Desentendimento
O passeio acontece logo depois de uma polêmica envolvendo o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que teria chamado Ramos de “maria fofoca” em um comentário nas redes sociais.

No sábado (24/10), depois de receber críticas do presidente da Câmara, Eduardo Maia, e do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, Ramos assumiu um tom mais conciliador, afirmado que o caso era “assunto encerrado” em entrevista ao Estadão.

O atrito entre os dois ministros já ocorria nos bastidores do governo e foi tornado público nesta semana após Salles usar as redes sociais para se posicionar.

De um lado, Ramos conta com o respaldo de membros do Centrão e da ala militar. Já Salles tem o apoio a chamada ala ideológica do governo e o próprio filho do presidente e deputado federal, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). O conflito entre os dois ministros surgiu a partir da desconfiança de Salles sobre a atuação de Ramos para derrubá-lo do cargo.

Diante das dificuldades orçamentárias da pasta do Meio Ambiente, Salles soube que Ramos teria articulado com o Ministério da Economia maiores recursos para as pastas da Infraestrutura e do Desenvolvimento Regional.

Compartilhe