Covid-19: AstraZeneca suspende testes de vacina por reação adversa em participante

Anvisa confirma que recebeu comunicação da farmacêutica sobre interrupção nos testes; imunizante começou a ser testado no Brasil em junho

Os testes da fase 3 da vacina contra Covid-19, que está sendo desenvolvida pelo laboratório da AstraZeneca com a Universidade de Oxford, foram interrompidos depois que um participante apresentou reação adversa no Reino Unido. Não foi informado sobre a natureza da reação e nem quando ela aconteceu, mas uma fonte afirmou que a pessoa deve se recuperar sem maiores problemas. Em comunicado, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) confirmou ter recebido comunicação da empresa sobre a interrupção. “A decisão de interromper os estudos foi do laboratório, que comunicou os países participantes. A Anvisa já recebeu a mensagem e vai aguardar o envio de mais informações para se pronunciar oficialmente”, disse.

Ao site americano “StatNews”, voltado para questões de saúde, um porta-voz da AstraZeneca informou que o “processo de revisão padrão da empresa acionou uma pausa na vacinação para permitir a revisão dos dados de segurança”. A paralisação não é consideração grave pela empresa, mas “uma ação de rotina que deve acontecer sempre que houver uma doença potencialmente inexplicada em um dos testes”. A Jovem Pan entrou em contato com a assessoria do laboratório no Brasil que informou ‘estar averiguando se é uma notícia verdadeira e se impacta o país’ e logo deve emitir comunicado oficial.

Atualmente nove vacinas contra o novo coronavírus estão sendo testadas mundialmente na fase 3. O imunizante da AstraZeneca/Oxford foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e começou a ser testado no Brasil no dia 15 de junho em 5 mil voluntários. Entre esse grupo, não há relatos de complicações. No início do mês, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco Filho, informou durante coletiva de imprensa que firmou um acordo com o consórcio AstraZeneca/Oxford para a distribuição das vacinas no Brasil para janeiro de 2021.

Compartilhe