Flordelis falta a depoimento sobre menina que vivia em sua casa

A deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD-RJ) faltou ao depoimento que daria nesta segunda-feira (20/7) a respeito da adolescente de 17 anos que mantinha em sua casa sem que nunca tivesse entrado com pedido de adoção ou guarda da menina. Ela seria ouvida na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Niterói. O inquérito foi aberto em outubro de de 2019. Como ela não compareceu, investigadores tentam remarcar o depoimento, de acordo com informações do jornal Extra.

A polícia já ouviu testemunhas que contaram que a menina teria passado pelas mãos de três pessoas antes de ir morar com a deputada e que André Luiz de Oliveira, um dos filhos afetivos de Flordelis, foi o responsável por levar a garota para a casa da família da pastora em outubro de 2011, quando ela tinha 8 anos.

O filho da deputada admitiu em depoimento que pegou a criança com Carlos Knust e sua mulher, Claudia. Carlos é gerente-comercial da MK Music, gravadora gospel com a qual Flordelis tem contrato. O casal também confirmou aos agentes que foi o responsável por entregar a garota a André.

Flordelis é investigada pelo assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho do ano passado. A deputada também é suspeita de irregularidades nos acolhimentos de crianças. A parlamentar é conhecida como mãe de 55 filhos. São pelo menos três casos — dois deles ocorridos há mais de duas décadas — nos quais a pastora não entrou com processos de adoção na Justiça para regularizar a situação dos então menores de idade.

A versão apresentada pelos pais da adolescente, que prestaram depoimento em fevereiro e março deste ano, é de que a filha desapareceu após ter ido brincar na casa de uma conhecida de seu avô paterno. A mãe da jovem afirma que o combinado era buscá-la depois, mas, ao chegar ao local, nem a mulher nem sua filha estavam mais na residência. No depoimento, os pais não disseram o nome dessa primeira mulher que teve contato com a criança, mas as investigações indicam que não seria Flordelis.

A mãe disse que chegou a procurar a filha com o avô paterno, mas não conseguiu encontrá-la. Logo depois, o idoso faleceu. Em seu depoimento à polícia, o pai da adolescente afirmou que não autorizou a ida de sua filha para a casa de Flordelis e que também não autoriza a adoção da menina. Após a repercussão do caso, a adolescente voltou a morar com a família biológica.

Compartilhe