ACM Neto pede firmeza aos prefeitos do interior para conter disseminação do coronavírus

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), disse nesta quinta-feira, 09, durante entrega de 230 cestas básicas e 223 kits de higiene para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), na Calçada, que as pessoas com coronavírus do interior serão atendidas nas unidades de saúde na capital. Neto alertou, porém, que os prefeitos da região metropolitana de Salvador e cidades no raio de 150km possam ter firmeza para conter a disseminação do coronavírus.

“Eu tenho dito já há algum tempo. Que não adianta Salvador fazer todo esforço que vem fazendo  para conter a disseminação  da Covid-19, se as cidades do interior não acompanharem esse esforço.  Em especial as cidades da região metropolitana e aquela que estão a uma raio de 150km de Salvador”, afirmou Neto.

“Quando a gente observa as situações dos leitos hospitalares, a grande concentração de oferta  está aqui na capital.  Desde o princípio, eu coloquei que nós não faremos nenhuma restrição para receber paciente do interior.  E não faremos. Eu entendo que independentemente se a pessoa nasceu em Santo Antonio de Jeus ou salvador. Quando ela precisa  de atendimento médico hospitalar, ela tem que ter. Portanto, nós não faremos essa  distinção. São vidas humanas que importam do mesmo jeito. Mas é claro que nós aqui em Salvador, não podemos pagar o preço de eventuais decisões não tão firmes  de outros prefeitos.  Então nesse momento, o que eu espero  é firmeza dos prefeitos, como a gente vemtendo  desde o inícioda pandemia, para que não haja  uma superlotação das Utis de Salvador e é claro que a gente tenha condição de retomar as atividades” alertou.

“Hoje nós temos uma proporção mais de 58% de pacientes de Salvador, que estão ocupando leitos de UTI em Salvador.  42% são pacientes do interior, que ocupam leitos de UTI, em Salvador”. Então essa taxa de ocupação, ela pode e vai cair se Deus quiser, em função de oferta de novos leitos. Já que a expectativa é de ter 75 novos leitos funcionando até o fim do mês. A minha expectativa é de que se a gente puder colocar 55 dos 75 em funcionamento,nós chegaremos auma taxa de ocupação  de 74%,o que nos permite mantendo essa taxa por 5 dias, iniciar a primeira etapa de reabertura. Porém, isso parte do princípio de que não haverá um aumento significativo da demanda. Porque se houver aumento da demanda, inclusive com a contribuição de pacientes de outras cidades, nós não conseguiremos chegar aos 75%. Portando, é fundamental que os prefeitos façam a sua parte” finalizou.

Por Jones Almeida

Compartilhe