Bolsonaro terá novo encontro com Feder; escolha para o MEC segue indefinida

O secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, voltou a ser cotado pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir o ministério da Educação. Bolsonaro o convidou para vir à Brasília onde os dois deverão voltar a conversar. A avaliação dentro do governo, é de que não há mais espaço para erros. Até por conta disso, o presidente ainda não formalizou a escolha.

Jair Bolsonaro deverá aproveitar o fim de semana para a avaliar as repercussões sejam na imprensa, entre apoiadores, e as diversas alas que existem dentro do governo. Quando o presidente anunciou o nome de Carlos Alberto Decotelli, na semana passada, o presidente havia elogiado Renato Feder.

No distrito federal, a Justiça Federal decidiu arquivar ação popular que tentava suspender a indicação do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub para o cargo de diretor do Banco Mundial. No pedido, o deputado Ivan Valente alegava que a indicação tinha desvio de finalidade por atender interesses pessoais e não públicos. A ação lembra também que Weintraub é investigado em dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), um por ter defendido a prisão de ministros do supremo e outro por racismo, diante de declaração afirmando que os chineses seriam responsáveis pela pandemia do coronavírus.

A justiça entendeu, no entanto, que a divulgação de fatos e opiniões nas redes sociais não pode ser usado como justificativa para que o judiciário interfira em assuntos do executivo.

Compartilhe