Após determinação do governo do estado, Prefeitura de Camaçari publica decreto que altera horário do toque de recolher

Medida visa ajustar atender a compromisso firmado entre governos e municípios da região metropolitana de Salvador

Após determinação do governo do estado, a Prefeitura de Camaçari publicou, neste sábado (4), um decreto que altera o horário do toque de recolher na cidade. A medida visa adequar a restrição de locomoção ao decreto estadual 19.813, de 3 de julho, cujo objetivo é uniformizar as ações na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

O decreto estadual determina o toque de recolher em Camaçari e outras dez cidades das 18h às 5h, passando a valer a partir de domingo (5) até o dia 12 de junho. Assim, fica estabelecida a restrição de locomoção noturna, vedados a qualquer indivíduo a permanência e o trânsito em vias, equipamentos, locais e praças públicas neste intervalo de tempo.

A medida do governo do estado foi fruto de um trabalho articulado entre prefeitos da RMS, que se reuniram na última quinta-feira (2) para discutir ações conjuntas para enfrentar a pandemia. Já nesta sexta-feira (3), eles se encontraram, por videoconferência, com o governador Rui Costa (PT), que se comprometeu com a publicação do decreto.

O prefeito de Camaçari, Elinaldo Araújo (Democratas), destaca que o trabalho em conjunto será importante para o combate à pandemia. “Vamos sempre buscar este alinhamento com as prefeituras da região metropolitana e com o governo do estado, inclusive em relação à reabertura das atividades comerciais, com protocolos definidos conjuntamente”, afirma.

Antes da medida do governo, o toque de recolher em Camaçari tinha validade de segunda a sexta-feira, das 20h às 5h, e aos sábados e domingos, das 16h às 5h. Agora, a restrição de circulação vale das 18h às 5h diariamente.

Pelo decreto do governo, somente será permitido o funcionamento, das 5h às 17h, de serviços essenciais e, em especial, as atividades relacionadas ao enfrentamento da pandemia, o transporte e o serviço de entrega de medicamentos e demais insumos necessários para manutenção das atividades de saúde, as obras em hospitais e a construção de unidades de saúde.

Compartilhe