França: Macron segue se opondo a acordo Mercosul-UE

FRA - FRANÇA/ELEIÇÕES/COMPARECIMENTO - INTERNACIONAL - O candidato presidencial francês, o centrista Emmanuel Macron vota no 2° turno da eleição presidencial francesa em zona eleitoral, em Le Touquet, norte da França, neste domingo, 7. O Ministério do Interior da França informou que o comparecimento de eleitores às urnas no segundo turno das eleições presidenciais no País está até o momento levemente abaixo daquele registrado no último pleito, em 2012. Até o meio dia deste domingo no horário local (7h em Brasília), uma parcela de 28,23% dos eleitores havia depositado seu voto. Há cinco anos, o comparecimento até a metade do dia era de 30,66%. 07/05/2017 - Foto: ERIC FEFERBERG/POOL/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A questão climática tem aumentado a resistência de países europeus em relação ao acordo com o Mercosul. Em discurso nesta segunda-feira (29) na Convenção Cidadã pelo Clima, o presidente da França, Emmanuel Macron reforçou sua posição contrária ao acordo assinado em junho do ano passado.

A não efetiva implementação do Acordo de Paris sobre Mudanças Climáticas, que inclui o combate ao desmatamento e a redução da emissão de gases do efeito estufa, faz com que o governo brasileiro seja o principal alvo de reclamação dos franceses.

Emmanuel Macron disse que as negociações com o Mercosul pararam completamente e que os últimos relatórios que a ele foram submetidos o asseguram dessa decisão. A declaração acontece no dia seguinte à derrota de seu partido para o partido político, os Verdes, nas eleições municipais. O presidente francês também prometeu injetar 15 bilhões de euros, em dois anos, para promover a “transformação ecológica” da economia francesa.

Lembrando que para o acordo entre Mercosul e União Europeia entrar em vigor, ele deve ser aprovado pelo parlamento de todos os países. Alguns especialistas veem a rejeição do acordo, em parte, como uma estratégia de Emmanuel Macron para buscar apoio entre esse eleitorado.

Compartilhe