Bióloga afirma que teste de farmácia ‘não serve para nada’ e gera subnotificação de casos do coronavírus

Durante a entrevista com o programa ‘Roda Viva’, nesta segunda-feira (29), a doutora em microbiologia pela USP (Universidade de São Paulo), Natalia Pasternak afirmou que teste rápido para coronavírus comprado em farmácia “não serve para nada” e causa subnotificação da doença.

“Os testes sorológicos e principalmente os rápidos, vendidos em farmácia pelo preço inacessível para a maioria da população, não servem para nada. Então não comprem”, aconselhou.

Natalia falou sobre as subnotificações da doença. “Tenho visto pessoas que compram nas farmácias e comemoram porque deu negativo, quando, na verdade, esse teste mede anticorpos —portanto, vai te dizer se você teve contato com o vírus no passado e desenvolveu anticorpos. Eles podem dar muito erro, tanto com testes de falso negativo quanto de falso positivo”.

A pesquisadora do Instituto de Ciências Biomédicas da USP e autora do livro ‘Ciência no Cotidiano’ criticou ainda o governo Bolsonaro diante da crise na saúde pública devido a pandemia. “É grave a gente não ter os testes de RTPCR disponíveis principalmente para profissionais de saúde para fazer diagnóstico. Esse é o teste que vai medir o material genético do vírus, vai dizer se o vírus está lá. Isso foi uma escolha do ‘desgoverno federal’, que não comprou os insumos e não distribuiu para os estados e municípios. Isso deveria ter sido feito pelo Ministério da Saúde. Então temos uma subnotificação, porque não se testa o suficiente.”, concluiu.

Compartilhe