Bolsonaro diz ter “vergonha” da aproximação entre Lula e Doria

O presidente Jair Bolsonaro teceu fortes críticas ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), a quem identifica como líder dos governadores “traidores” por causa dos decretos de isolamento social para combater o contágio da população pelo coronavírus.

Além de pedir que Doria e os demais governadores revejam as restrições, Bolsonaro atacou o gesto de solidariedade entre Doria e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Essa do Lula, eu tô com vergonha dessa aproximação com o Lula desse momento. Já caiu a máscara há muito tempo, agora ficou ridícula a situação dele [Doria], se solidarizando com um ex-presidiário”, atacou.

As declarações foram dadas em entrevista ao programa Os Pingos nos Is, do jornalista Augusto Nunes na rádio Jovem Pan, na noite desta quinta-feira (02/04).

“Nossa despesa total no combate ao coronavírus está na casa dos R$ 600 bilhões, é uma conta que a gente não esperava, caríssima, mas bem demonstra nossa preocupação”, disse. “Mas eu fui a Ceilândia e a situação dos ambulantes, que são 38 milhões no Brasil, é desesperadora”, disse ainda o presidente.

Ao longo do dia, Bolsonaro voltou a subir o tom contra governadores como Doria. Para o presidente, o impacto econômico da quarentena trará uma “segunda onda” que ele considera pior do que a crise de saúde pública provocada pela pandemia.

Bolsonaro tem defendido que pessoas que não estão nos grupos de risco de morte pela Covid-19 voltem às suas atividades laborais.

Compartilhe