PF apura esquema de lavagem de dinheiro no governo da Paraíba

A Polícia Federal (PF) deflagrou, junto com o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado do Ministério Público na Paraíba (Gaeco/PB) e a Controladoria-Geral da União (CGU), nesta terça-feira (10), mais uma fase da Operação Calvário. O objetivo é investigar lavagem de dinheiro que teria sido desviado de organizações sociais da Saúde na Paraíba por meio de jogos de apostas autorizados por loterias.

Ao todo, 55 agentes e cinco auditores da CGU cumprem nove mandados de busca e apreensão na residência dos investigados e no Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, em João Pessoa e Bananeiras. As medidas foram expedidas pelo desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba.

Entre os alvos, está um auditor do Tribunal de Contas do estado. Ele teria atuado para atrapalhar as investigações.

O esquema teria desviado R$ 134,2 milhões da pasta da Saúde, de acordo com a PF. O grupo seria chefiado pelo ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB). Ele foi preso em dezembro passado, mas solto um dia depois. Em fevereiro último, a Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça manteve Coutinho em liberdade e aplicou medidas cautelares.

Os investigados responderão pelos crimes de extorsão e corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa e as penas somadas podem ultrapassar 20 anos de prisão.

Compartilhe