Wagner minimiza demora do PT em definir candidato a prefeitura de Salvador: “nada cruel”

O senador Jaques Wagner minimizou, em conversa com o Classe Política, na Igreja da Conceição da Praia, a demora do Partido dos Trabalhadores em definir o nome da candidatura que disputará a sucessão municipal em Salvador. O petista, no entanto, já defendeu, publicamente, o nome do deputado estadual Robinson Almeida como pré-candidato do partido.

“Eu acho que não tem um nome ideal. A gente constrói um nome e vai trabalhar. Quando eu lancei Rui, ele estava eleito? Não! Quando a gente lançou três candidatos (nas eleições de 2012), tava eleito? Todo mundo achava que iria dá ACM Neto e Imbassay. Deu João Henrique”, refletiu. Para o senador a demora em anunciar o nome que concorrerá pelo PT ao Palácio Thomé de Souza não trará prejuízos à pré-campanha da legenda. “A eleição será definida nos últimos 60 dias. Então na minha opinião, obvio que seria bom que já tivesse resolvido, mas eu não acho que é nada cruel de não ter”, ponderou Wagner, que não caminhou até o Bonfim por recomendação médica.

Ele passou por uma intervenção cirúrgica oftalmológica no início deste mês. Além de Robinson Almeida, o PT conta com as pré-candidaturas da secretária da Promoção da Igualdade, Fabya Reis, do ex-ministro Juca Ferreira e da socióloga Vilma Reis.

Por Jones Almeida

Compartilhe