Bolsonaro: ordem para Queiroz faltar a depoimento é “fake news”

Demonstrando irritação ao ser questionado por jornalistas sobre Fabrício Queiroz, ex-assessor de seu filho Flávio Bolsonaro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) acabou encerrando entrevista nesta terça-feira (14) na portaria do Palácio da Alvorada.

O presidente foi questionado sobre o livro “Tormenta – O governo Bolsonaro: crises, intrigas e segredos”, da jornalista Thaís Oyama, obra a ser lançada no próximo dia 20 de janeiro.

No livro, a jornalista relata que o próprio presidente teria mandado Queiroz faltar a um depoimento marcado no Ministério Público do Rio de Janeiro, na ação que investiga movimentações atípicas do ex-assessor dentro de suposto esquema de desvios de recursos públicos, que vigoraria no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Livro mentiroso
“O livro é fake news, um livro mentiroso, não vou responder sobre o livro”, disse Bolsonaro.

Minutos antes, o próprio presidente havia inserido o novo livro entre os assuntos da entrevista, ao tentar desviar de uma pergunta sobre proposta dele para subsídio para conta de luz de igrejas, quando disse que não tinha opinião a dar.

“Tem uma colega de vocês que fez um livro que leu meu pensamento. Acho que não tenho que conversar com vocês. É só escrever o que você achar”, afirmou.

Compartilhe