Brasil teve 44 mil novos casos de HIV no ano passado

O Ministério da Saúde divulgou nesta sexta-feira (29) o novo Boletim Epidemiológico de HIV/Aids no Brasil. Os dados mostram que no ano passado foram diagnosticados 43,9 mil novos casos de HIV e 37,1 mil de Aids.

Ao todo, 966 mil convivem com o diagnóstico positivo. As autoridades de Saúde estimam que outras 135 mil pessoas convivem com o vírus e não sabem. Na tentativa de aumentar os diagnósticos e o tratamento precoce, o governo lançou uma campanha educativa.

Apesar de estarem diretamente ligados um ao outo, HIV e Aids não são a mesma coisa. A primeira sigla refere-se ao vírus, não à doença propriamente dita. A Aids é a doença provocada pelo vírus e requer um outro tipo de tratamento. Uma pessoa que vive com HIV pode nunca desenvolver a enfermidade, se fizer o Tratamento Antiretroviral (TARV) adequadamente.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, destacou que 38 mil pessoas iniciaram o tratamento. São, ao todo, 632 mil pacientes medicados. Nos últimos cinco anos, a mortalidade caiu 22%. Em 2014, foram 12,5 mil, ante 10,9 mil no ano passado.

“Vamos enfrentando o preconceito e as contaminações. Tivemos investimentos e avanços no combate, mas, agora, colocamos a responsabilidade na mão dos jovens”, destacou o ministro se referindo à campanha.

O volume maior de infecções ainda é entre jovens, sobretudo na população de 20 a 34 anos. Esse público representa 57% das novas infecções, com 18,2 mil diagnósticos positivos.

A prevenção, como uso de camisinha, a profilaxia pré-exposição (Pre) e a profilaxia pós-exposição (PEP) ainda são o melhor caminho para o combate à Aids. O Ministério da Saúde estima que entre 2014 e o ano passado, 12,3 mil casos foram evitados. Neste recorte de tempo, foram identificados 37 mil casos em 2018, ante 41,7 mil em 2014.

Campanha
A nova campanha de prevenção foi lançada para o Dia Mundial de Luta Contra a Aids, celebrado em 1º de dezembro. O objetivo é incentivar pessoas que não se preveniram em algum momento da vida a procurar uma unidade de saúde e realizar o teste rápido.

Com o conceito “HIV/Aids. Se a dúvida acaba, a vida continua”, a ação tem o objetivo de mudar, na população jovem brasileira, a atitude e a percepção da importância da prevenção. Até o fim do ano, o governo estima que serão distribuídos 462 milhões de preservativos.

Compartilhe