Obra de macrodrenagem vai acabar com alagamentos em comunidade no Lobato, diz Bruno Reis

A população do Lobato vai ganhar mais qualidade de vida com a obra de macrodrenagem e requalificação do canal da Rua Aracati, iniciada nesta quarta-feira (6). Com investimento de R$ 1,1 milhão, as intervenções foram autorizadas pelo vice-prefeito e secretário de Infraestrutura (Seinfra), Bruno Reis, que passou a manhã no Subúrbio, acompanhado dos vereadores Beca, Vado Malassombrado e Sérgio Nogueira, além de diversos líderes comunitários e da equipe técnica da administração municipal.

De acordo com Bruno Reis, o projeto contempla serviços de macrodrenagem e limpeza dos 510 metros do canal, além de obras de pavimentação asfáltica em toda a extensão da via. As intervenções serão executadas pelo consórcio CBS/Comtech, com prazo de conclusão estimado em quatro meses. “A empresa que vai tocar a obra terá que contratar preferencialmente as pessoas da comunidade, para a gente gerar empregos e oportunidades nos bairros. Fazemos isso em toda a cidade”, assinalou.

A obra de macrodrenagem na Rua Aracati, segundo Bruno Reis, é uma demanda antiga dos moradores, que, durante uma edição do programa “Tô na Área”, em setembro, relataram os frequentes alagamentos na região. “Vocês falaram sobre a dura realidade da comunidade. Depois de ver o problema de perto, pedi para a minha equipe elaborar um projeto. O prefeito aprovou o orçamento. E, hoje, estamos aqui para começar mais uma importante obra, que vai melhorar de verdade a vida da população, resolvendo definitivamente o problema de vocês”, frisou.

Morador da Rua Aracati há 20 anos, o ambulante Ednaldo Braga aprovou o começo da obra. “A nossa realidade vai mudar. Quando chove, é um sofrimento. A água não escoa direito. Alaga tudo. A situação é feia. É insuportável, com tantas muriçocas e ratos”. Ao ver a equipe da Prefeitura trabalhar na localidade, a dona de casa Sandra Regina Oliveira ficou aliviada. “A obra vai ser bem feita, resolvendo o nosso problema. O povo sofre há anos. Tem foco de dengue aqui. É um perigo”, pontuou.

Compartilhe