Petistas criticam entrevista do governador Rui Costa à Revista Veja e defendem Lula Livre

As declarações do governador Rui Costa à Revista Veja, em entrevista às páginas amarelas, que circula esta semana, não foram bem recebidas por petistas. Se na Bahia lideranças políticas do PT, como deputados, evitaram criticar publicamente o governador, em nível nacional os deputados federais Paulo Pimenta e Paulo Teixeira, respectivamente, líder do PT na Câmara Federal e vice presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, trataram de rebater declaração do governador baiano. Pela primeira vez Rui colocou seu nome, publicamente, a disposição para disputar as eleições presidenciais de 2022 e refutou que a pauta Lula Livre seja eixo central de conversas com outros partidos de centro-esquerda para o processo eleitoral.

“Meu candidato a presidente é Lula. É com ele que vamos vencer as eleições e repactuar o Brasil. Não vejo outro nome melhor para unir o País em um projeto de soberania, crescimento com distribuição de renda, inclusão e democracia”, enfatizou Pimenta, no Twitter. “Na próxima eleição presidencial meu candidato é o Lula. Caso ele não seja candidato apoio Fernando Haddad para presidência da república”, completou Teixeira, também no microblog. O deputado federal João Daniel (PT/SE) também se contrapôs ao governador Rui Costa.

“Vamos torcer e trabalhar para Fernando Haddad ser ministro da educação de Lula, o melhor presidente e o melhor ministro e o Brasil retornar ao trilho civilizatório com democracia soberania e felicidade Lula livre já”, escreveu o parlamentar sergipano. Além deles, a presidente nacional do PT também rebateu indiretamente à entrevista concedida pelo governador Rui Costa.

“Justiça para Lula com sua liberdade é central não só para o PT. A farsa jurídica e midiática que o prendeu está na raiz da crise nacional, da democracia e do sofrimento do povo. O Brasil não se resolve com democracia pela metade. O PT não cai nessa ilusão”, afirmou. A repercussão da entrevista do governador Rui Costa à Veja levou seu nome a ser o assunto mais comentado no Twitter. Em boa parte dos comentários, críticas às reflexões do gestor baiano à crise na Venezuela, o tom ameno com a Lava Jato, o Governo Federal e ao que muitos consideraram a não defesa enfática do ex-presidente Lula, preso desde abriu de 2018 em Curitiba. Mais cedo, num encontro com prefeitos baianos em um resort de luxo, no litoral norte baiano, no entanto, o governador Rui Costa foi aplaudido e reverenciado por aliados, entre eles o senador Otto Alencar (PSD), cotado para sucedê-lo em 2022, e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Nelson Leal (PP).

Por Jones Almeida

Compartilhe