Livre, ex-presidente Michel Temer deixa sede da PF no Rio

O ex-presidente Michel Temer (MDB) deixou a Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro, onde estava detido desde a última quinta-feira (21/3), por volta das 18h40 desta segunda (25). O emedebista havia sido preso na Operação Descontaminação, desdobramento da Lava Jato.

A soltura de Temer foi determinada nesta segunda-feira pelo desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2). A mesma decisão colocou em liberdade o ex-ministro Moreira Franco e João Batista Lima Filho, o coronel Lima, amigo de Temer apontado como o principal intermediário do ex-presidente para recebimento de propinas.

A Operação Lava Jato afirma que o emedebista lidera um esquema que teria se beneficiado ou recebido promessa de R$ 1,8 bilhão em propina durante 40 anos. A investigação apontou que Temer teria sido beneficiário de R$ 1 milhão da construção da usina de Angra 3, obra pivô da prisão. A defesa do ex-presidente nega que ele tenha cometido qualquer irregularidade e aponta abusos na prisão.

Antecipação
Athié foi o relator do habeas corpus impetrado pelos advogados de Temer, que contestaram o decreto de prisão do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, responsável pela Operação Lava Jato no Rio.

O desembargador havia pedido que o caso fosse incluído na pauta de julgamento do tribunal na próxima quarta-feira (27), para que a decisão sobre o habeas corpus fosse colegiada. Ao conceder a liberdade, porém, ele se antecipou.

Compartilhe