Janot sobre suspensão do caso de Queiroz: “Heinnnnnnnnnnnnn??????????”

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado, sabatina Rodrigo Janot Monteiro de Barros, indicado para ser reconduzido ao cargo de procurador-geral da República (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot resumiu no Twitter sua reação diante da informação sobre suspensão do inquérito Queiroz, a pedido do senador eleito Flávio Bolsonaro: “Heinnnnnnnnnnnnn???????????”.

.

Janot não foi além e não fez maiores comentários. Restringiu-se à interjeição de espanto ao ler a notícia no periódico espanhol El País: “Informação foi confirmada pelo Ministério Público do Rio que investiga movimentações financeiras suspeitas do ex-funcionário de Flávio Bolsonaro”. Ele retuitou outros posts sobre a decisão de Luiz Fux, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).

Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio, é alvo de inquérito do Ministério Público do Estado por movimentações atípicas de R$ 1,2 milhão em suas contas, apontadas em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Fux tomou a decisão na quarta-feira, 16, horas depois de o pedido ser protocolado. Ele exerce interinamente a presidência da Corte por causa das férias do ministro Dias Toffoli.

Alcance do foro
Segundo informou o Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o entendimento do STF sobre o alcance do foro privilegiado pesou na decisão de Fux de suspender a apuração sobre Queiroz.

“O reclamante (Flávio Bolsonaro) foi diplomado no cargo do senador da República, o qual lhe confere prerrogativa de foro perante o Supremo Tribunal Federal. À luz do precedente firmado, compete ao Supremo Tribunal Federal o processo e julgamento dos parlamentares por atos praticados durante o exercício do mandato e a ele relacionados”, observou Fux.

Compartilhe