Delegado que investigava morte de Teori Zavascki é assassinado em SC

Dois policiais federais morreram a tiros em Florianópolis (SC) na madrugada desta quarta-feira (31/5), em uma casa noturna. Outra pessoa também foi baleada. Um dos mortos, Adriano Antonio Soares, havia aberto inquérito para investigar a morte do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki. O magistrado perdeu a vida no último 19 de janeiro, em um acidente aéreo em Paraty (RJ). Ele era o relator da Operação Lava Jato na Corte.

Adriano era delegado-chefe da PF em Angra dos Reis (RJ). Já Elias Escobar foi delegado em Volta Redonda, também no Rio, por dois anos. Em nota, a PF lamentou a tragédia. “Neste momento de imensa tristeza, a Polícia Federal expressa suas condolências e solidariedade aos familiares e amigos enlutados”.

Briga
Os policiais estavam em uma casa noturna no bairro Estreito, região continental da capital catarinense. A PF informa que ocorreu um desentendimento entre frequentadores — cujo motivo não foi divulgado —, seguido de tiroteio, por volta das 2h. Os delegados, segundo a corporação, estavam à paisana.

Um deles teria morrido no local. O outro foi levado para um hospital de Florianópolis, mas não resistiu. A terceira pessoa baleada seria um dos envolvidos na briga e está internada. A Polícia Militar informou que, por volta das 5h30, um carro teria atirado contra o hospital em que a pessoa está. Neste incidente não houve feridos.

A Delegacia de Homicídios da Polícia Civil, com apoio da Polícia Federal, investiga o caso. Pelo menos outros dois homens estariam envolvidos no desentendimento. Até esta manhã, não havia suspeito detido. Segundo a PF, as vítimas tinham viajado a Florianópolis para participar de um curso.

Compartilhe