Michel Temer diz que afastará ministro que for denunciado na Lava Jato

Brasília(DF), 23/11/2016 - Posse do Ministro da Educação Roberto Freire _ Palácio do Planalto. Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

Em pronunciamento à imprensa no Palácio do Planalto nesta segunda-feira (13/2), o presidente da República Michel Temer (PMDB) disse que afastará do governo qualquer ministro que for denunciado na maior investigação contra corrupção da história do Brasil, a Operação Lava Jato.

O peemedebista afirmou que o afastamento será provisório, caso o ministro seja denunciado, e definitivo se, após a fase de denúncia, ele virar réu. A declaração foi dada depois de o presidente ter sido acusado de tentar blindar os integrantes de seu governo envolvidos no esquema.

“Se houver denúncia, o que significa um conjunto de provas eventualmente que possam conduzir a seu acolhimento, o ministro que estiver denunciado será afastado provisoriamente. Depois, se acolhida a denúncia e aí sim a pessoa, no caso o ministro, se transforme em réu  — estou mencionando os casos da Lava Jato —, se transformando em réu, o afastamento é definitivo”, afirmou o presidente.

Nas etapas do processo jurídico, o Ministério Público Federal (MPF), primeiramente, apresenta denúncia à Justiça quando considera que há provas consistentes e, em caso de aceitação, o investigado vira réu e passa a responder a um processo.

“Faço questão de enfatizar em letras maiúsculas que não há nenhuma tentativa de blindagem, a questão é muito séria. Se alguém se converter em réu estará afastado”, repetiu.

Compartilhe