Político chamado de ”todo feio” reclama de apelido na delação da Odebrecht

Não foi só a revelação de que receberam dinheiro da Odebrecht que causou incômodo aos políticos envolvidos pela delação do ex-diretor da empreiteira Cláudio Melo Filho. Alguns apelidos jocosos tornaram os donos dos codinomes, inventados na planilha de pagamentos para identificar os destinatários do dinheiro, “vítimas” de bullying na internet.

Chamado de “todo feio”, o ex-deputado federal Inaldo Leitão fez questão de se defender. O político publicou um texto no seu facebook dizendo que, por fazer 10 anos, não se lembra do valor recebido da Odebrecht, mas garantiu que foi em caráter oficial.

Na sequência, não deixou passar batido o apelido que o delator, a quem chamou de “ex-amigo” e “atual canalha”, lhe colocou: “Outra coisa que não gostei nessa delação do canalha Claudio Melo foi codinome de “Todo Feio”. rsrsrsrsrs Não é bem assim, né? Se fosse escolher um codinome para esse delator, ficaria em dúvida entre Todo Horroroso ou O Mentiroso”, registrou.

Na delação, Cláudio Melo Filho diz que Inaldo Leitão recebeu R$ 100 mil e que há outro registro para o codinome “cunhado” que também seria uma referência a ele. O delator diz que Inaldo tinha relações familiares com a Odebrecht.

Outros que sofreram bullying por causa dos apelidos em suas páginas foram o deputado Heráclito Fortes (PSB/PI) e a senadora Lídice da Mata (PSB/BA).

Na delação, Heráclito Fortes é chamado de “boca mole” e, segundo o executivo, teria recebido R$ 200 mil. “Em razão das fortes relações políticas que tem, Heráclito sempre ajudou na análise dos principais temas políticos”, diz o ex-diretor da Odebrecht.

Heráclito Fortes esclarece que o dinheiro que recebeu da empreiteira é doação eleitoral sem qualquer vinculação com propina e indica que não aceitará as ofensas. “O deputado Heráclito Fortes reafirma ainda que sempre se colocou aberto a críticas, sugestões e opiniões de quem quer que seja, afinal estamos em um país democrático e a opinião pública deve ser respeitada. Porém, quando essas colocações vêm em tom de insultos, xingamentos e agressões, dá-nos o direito também de excluir tais comentários”, afirmou, se referindo a internautas que fizeram chacota do apelido.

Na página de Lídice da Mata, que também se defendeu das acusações do delator, a senadora respondeu a uma usuária que disse que ser chamada de corrupta tudo bem, mas de feia era sacanagem. “Tenho a cabeça erguida e a verdade prevalecerá. Seu xingamento não me ofende”. Ela também foi colocada como destinatária de R$ 200 mil

Compartilhe