Testemunhas de Vargas não comparecem ao Conselho de Ética

Os depoimentos das testemunhas de defesa do deputado André Vargas
(sem partido-PR), no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara,
previstos para hoje (9) foram adiados para o próximo dia 15. A
transferência das oitivas ocorreu porque nenhuma das oito testemunhas
indicadas pela defesa do parlamentar compareceu ? reunião do conselho.

As testemunhas convidadas pelo Conselho de Ética justificaram a
ausência alegando compromissos agendados anteriormente para o dia de
hoje. O prefeito de Apucarana (PR), Carlos Alberto Gebrim Preto,
conhecido como Beto Preto, informou ao conselho que poderá comparecer ?
reunião do dia 15. Já o empresário Roberto Vezozzo, de Londrina (PR),
informou que poderá comparecer ao conselho logo após a Copa do Mundo.

Outras
testemunhas arroladas pelo deputado André Vargas, convidadas para a
reunião de hoje do Conselho de Ética, não responderam aos convites nem
se colocaram ? disposição para prestar esclarecimentos sobre as
denúncias envolvendo o deputado André Vargas. Entre as testemunhas
indicadas pela defesa do deputado está o doleiro Alberto Youssef, preso
pela Polícia Federal na Operação Lava Jato.

André Vargas responde
a processo de quebra de decoro parlamentar, no Conselho de Ética, por
denúncias de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef. Vargas, que era
vice-presidente da Câmara, teve que renunciar ao cargo após a
divulgação de denúncias de envolvimento com o doleiro, inclusive pelo
uso de um avião fretado por Youssef para Vargas viajar ao Nordeste, de
férias, com a família.

O relator do processo, deputado Júlio
Delgado (PSB-MG), ficou aborrecido com o não comparecimento das
testemunhas para as oitivas.  Ele garantiu que o prazo para o fim da
instrução do processo no conselho será plenamente respeitado. Se houver
recesso parlamentar, a partir do dia 18, o prazo para as investigações
encerra-se em 12 de agosto; se não houver o recesso, o prazo acaba no
dia 29 deste mês.

Em relação ao processo de quebra de decoro
parlamentar contra o deputado Luiz Argôlo (SDD-BA), que também está
sendo analisado pelo Conselho de Ética, ainda não há datas previstas
para as oitivas de acusação e defesa. Os convites para os depoimentos
estão sendo preparados pelos funcionários do conselho. Argôlo também
responde a processo por denúncias de envolvimento com Youssef.

Compartilhe