Posso governar com o PMDB, diz Aécio

Em sua primeira entrevista como candidato oficial do PSDB ? Presidência da República, o senador Aécio Neves reconheceu ontem, durante jantar na sede da APJ (Associação Paulista de Jornais) ? entidade que reúne 14 jornais do Estado, incluindo o Diário ?, em São Paulo, que aceitaria governar, caso seja eleito, com o apoio do PMDB, desde que a relação seja diferente da construída pela administração petista.

?Certamente governarei sem essa forma de relação com o PMDB. Se amanhã setores do partido quiserem apoiar o nosso governo a partir das regras que nós vamos estabelecer, da nova forma de relação política, não há problema algum. O que não vamos é trocar apoio por cargo político?, prometeu o presidenciável do PSDB. ?Não faria essa caminhada para repetir essa fórmula, que a população não aguenta mais.?

O PMDB hoje faz parte do bloco de sustentação da presidente Dilma Rousseff (PT) no Congresso ? apesar de haver na sigla descontentes ? aliança ? e ocupa a vice-presidência, com Michel Temer. A chapa será repetida neste ano.

Aécio voltou a falar sobre o polêmico episódio dos xingamentos ? presidente na abertura na Copa do Mundo, quinta-feira. Mas, desta vez, baixou o tom e se colocou do lado da petista. ?Eu não a vaiaria de jeito nenhum. Ninguém tem sido mais crítico com esse governo do que eu. Você se manifestar de forma pacífica é natural. Mas a ofensa pessoal não nos leva a lugar nenhum nem engrandece nossa democracia. Me solidarizo com ela, apesar de achar que seu governo está levando o Brasil para um caminho preocupante.?

A entrevista completa do presidenciável do PSDB aos jornais integrantes da APJ será publicada na edição de domingo. Entre os assuntos abordados pelo tucano estão reforma política, Segurança, guerra fiscal, relação com os Estados e Bolsa Família.

Compartilhe