Dilma faz ofensiva nas redes de TV para defender o governo e a Copa

Aproveitando os holofotes da Copa, a presidente Dilma Rousseff faz uma
ofensiva de exposição na TV aberta, onde defende ações do governo, obras
e o legado do evento.

Na última terça-feira (3), a presidente deu entrevista exclusiva aos
jornalistas da TV Bandeirantes, no dia seguinte, ao SBT, e ainda vai
conversar a Record e com a Globo, em datas a serem definidas.

Visando fortalecer seu relacionamento com a mídia em ano eleitoral,
Dilma também recebeu correspondentes estrangeiros no Palácio da Alvorada
na última terça. Em maio já havia convidado jornalistas esportivos para
um jantar na residência oficial.

Nas entrevistas dadas nesta semana, o conteúdo das respostas foi
parecido, Dilma disse que não irá reprimir as manifestações na Copa, mas
que o governo vai garantir o direito das pessoas assistirem aos jogos.

Sobre as obras para o Mundial, disse que, apesar dos atrasos, a
capacidade dos aeroportos foi duplicada e que as reformas não foram
feitas apenas para o evento, mas para ficar de legado para a população.

Ao SBT criticou as previsões e o pessimismo relativos ? Copa, que
seriam decorrentes de um ‘complexo de vira-latas”, ‘uma certa diminuição
de nós mesmos”.

‘Disseram que nós não teríamos Copa porque não teríamos aeroportos
prontos. Depois disseram que a Copa seria um processo terrível, porque
teria uma epidemia de dengue. Nada disso se verificou. Os 12 estádios
estão entregues, os 12 aeroportos foram duplicados a capacidade de
embarque e desembarque, e você não tem nem nunca terá, nesta época no
Brasil, nenhuma possibilidade de um

Compartilhe