Conselho de Ética aprova investigações sobre deputado Argôlo

O Conselho de Ética da Câmara aprovou hoje (3), por 11 votos a zero, o
parecer preliminar do deputado Marcos Rogério (PDT-RO), que propõe o
prosseguimento de investigações contra o deputado Luiz Argôlo (SDD-BA). O
parlamentar será investigado por quebra de decoro parlamentar em função
das denúncias de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, preso pela
Polícia Federal na Operação Lava Jato.

O parecer preliminar foi
elaborado com base na representação apresentada pelo PSOL. A partir de
agora, as investigações devem ser feitas com base nos autos da Operação
Lava Jato e nos depoimentos de testemunhas. O deputado Luiz Argôlo terá,
a partir de amanhã (4), dez dias úteis para apresentar sua defesa por
escrito e os nomes das testemunhas a serem ouvidas pelo Conselho de
Ética.

Duas representações contra o deputado por quebra de decoro
parlamentar tramitam apensadas no Conselho de Ética. Uma foi
apresentada pela Mesa Diretora da Câmara após as investigações da
Corregedoria da Casa e a outra foi protocolada no conselho pelo PSOL.
Como elas tratam das mesmas denúncias, segundo o relator, as
investigações serão as mesmas e o parecer final a ser votado pelos
integrantes do colegiado também deverá ser um só.

Compartilhe