Janot pede transferência de Marco Prisco para presídio federal em Rondônia

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu hoje (16) ao
Supremo Tribunal Federal (STF) que o vereador Marco Prisco, que liderou o
movimento grevista da Polícia Militar da Bahia, seja transferido para o
presídio federal em Porto Velho (RO). O pedido será analisado pelo
ministro Ricardo Lewandowski, relator do habeas corpus no qual o vereador pede prisão domiciliar.

O
pedido do procurador foi feito após o resultado de um relatório médico,
divulgado ontem (15). A junta médica, formada por dois servidores do
Supremo, concluiu que Marco Prisco ?não apresenta, no momento, evidência
de cardiopatia que exija tratamento hospitalar ou domiciliar.

“O
laudo é bastante claro: não há necessidade de internação hospitalar, de
modo que não mais subsiste ? manutenção do interessado no nosocômio
[hospital]. A hipótese é de, em cumprimento ao que já determinado,
presentes os requisitos da prisão preventiva, seja ele encaminhado para o
Presídio Federal em Porto Velho.”, afirmou Janot.

Marco Prisco
foi preso em Salvador, no dia 18 de abril e transferido para Presídio
da  Papuda, no Distrito Federal, porque a ordem judicial determinou que
ele deve ficar recolhido em instituição prisional federal.

Prisco
é presidente da Associação de Policiais e Bombeiros e seus Familiares
do Estado da Bahia e vereador pelo PSDB em Salvador. Ele liderou um
movimento grevista dos policiais militares da Bahia, que foi encerrado
no dia 17 de abril. A prisão do vereador, no entanto, foi motivada por
outra greve, também encabeçada por ele.

Na semana passada, o
vereador sofreu um infarto na Papuda e está internado em um hospital
público de Brasília. De acordo com boletim médico divulgado ontem (15)
pela Secretaria de Saúde, o estado de saúde de Prisco é estável.

Compartilhe