Funcionários da Lan e Tam ameaçam greve durante a Copa

Funcionários das companhias aéreas Lan e Tam no Brasil, que formam o
grupo Latam, ameaçam cruzar os braços durante a Copa do Mundo caso não
sejam retomadas as negociações salariais com trabalhadores do Peru, que
receberiam salários menores do que os colegas empregados em países
vizinhos. Em nota, os representantes dos trabalhadores informaram ter
entregue documento aos acionistas e passageiros das companhias relatando
os problemas vividos por funcionários das filias no Peru e na
Argentina.

Nesta segunda-feira (12/05), os trabalhadores se reuniram no Rio de
Janeiro para discutir o problema, Presente ao encontro, o presidente da
Federação dos Trabalhadores da Aviação Civil, Sérgio Dias, lembrou que
as negociações entre a LAN Peru e comissários de voo e mecânicos estão
paralisadas há quase seis meses.

O sindicalista alertou que a perspectiva de paralisação durante a Copa
do Mundo é ainda maior porque aeroviários de outras companhias também
estão insatisfeitos com os rumos da campanha salarial no Brasil. Segundo
ele, as companhias não estão atendendo as reivindicações da categoria,
que pede um reajuste salarial de 8% e um aumento de 10% no vale
refeição.

“O grau de insatisfação da categoria é muito grande”, disse. Além disso,
criticou a gestão da Latam, que, segundo ele, promove uma desigualdade
entre os seus trabalhadores baseados em diferentes países. Segundo ele, a
Lan paga aos trabalhadores peruanos a metade do salário dos
trabalhadores chilenos na mesma posição e empresa.

De acordo com os sindicalistas, o grupo Latam vai realizar mais de 300
voos internacionais para o Brasil. A maior parte dos passageiros virá do
Chile, do Peru e da Inglaterra. No Brasil, a Tam Linhas Aéreas terá um
aumento de 31% em suas ofertas e vai adicionar mais de 750 voos
domésticos.

Compartilhe