Comerciantes prometem fechar ??Feira de São Joaquim? nesta quinta-feira

Pela terceira vez, os comerciantes da Feira de São Joaquim prometem cruzar os braços, nesta quinta-feira (8), em protesto ao atraso das obras de requalificação da mais tradicional feira de produtos populares da Bahia e considerada uma das maiores feiras da América Latina. Cerca de 7 mil feirantes vão participar, a partir das 6 horas, de uma manifestação em frente ao local, na Avenida Oscar Pontes, no Comércio.

De acordo com o presidente do Sindicato de Feirantes e Ambulantes de Salvador (SindFeira), Marcílio Costa, os feirantes cobram uma audiência com o governador Jaques Wagner para definição e cumprimento de um cronograma para a conclusão das obras, que estão atrasadas há 2,2 anos. ?A feira nai vai abrir enquanto durar o movimento, exigimos uma audiência com o governador, que até hoje não nos atendeu, apenas enviando emissários?, explica.

A Feira de São Joaquim ? indicada para ser Patrimônio Imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) ? é responsável pelo centro de distribuição de toda a agricultura familiar do Recôncavo Baiano, alimenta o comércio de bairro, atende todos os terreiros de Salvador e a classe menos favorecida, além de garantir a preservação da cultura afro-brasileira. Iniciada em 2011 e com previsão de conclusão no primeiro semestre de 2014, a reforma da Feira de São Joaquim foi dividida em três etapas e possui o aporte de cerca de R$ 60 milhões (governos estadual e federal). As obras da terceira e última etapa estão sendo executadas pela Companhia de Desenvolvimento Urbano (Conder), através do consórcio LJA/GD ? quarta empresa a assumir o processo de requalificação da feira.

Compartilhe