Campos diz que Dilma deixará ‘bomba-relógio’

O presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, criticou mais uma veza política econômica da presidente Dilma Rousseff (PT). Campos afirmou que a presidente continua a conduzir de ?forma errada a economia brasileira? e que irá deixar uma bomba-relógio?  como legado para o seu sucessor.

?O Brasil pegou o caminho errado. Estamos tendo baixo crescimento. É o menor crescimento da história republicana. A inflação está em alta. Estamos com a maior taxa de juros real para países do tamanho do Brasil no mundo. Perderam o controle da inflação, tentam administrar a inflação com preços administrados, deixando uma verdadeira bomba-relógio para depois da eleição?, disse Campos em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, do SBT.

Questionado se a achava que a presidente Dilma estava escondendo da população medidas impopulares que seriam empregados no futuro, Campos respondeu que sim. ?Esta semana o ministro dela [Guido Mantega, ministro da economia] veio ? imprensa dizer que vai vir com aumento de impostos e ela achou ruim e veio desmentir. Ou seja, tem um jogo de esconde-esconde que não é fácil nos tempos de hoje se omitir a verdade. A sociedade percebe que o governo está maquiando, ou tentando maquiar, a situação esperando que cheguem as eleições?, afirmou. A gente precisa fazer a mudança na eleição opara botar o brasil de volta no caminho certo.

Campos também disse que vai manter o poder de compra do salário mínimo e que não pretende suprimir direitos dos trabalhadores. ?Pode mudar, porque tem que passar pelo Congresso. Mas o princípio não muda. Vamos garantir o poder de compra do salário mínimo para o povo brasileiro. Essa é uma conquista. Salário mínimo é uma conquista desde os tempos de Getúlio [Vargas, ex-presidente já falecido], assim como o Bolsa-Família é uma conquista dos tempos de Lula. São conquistas que precisam ser preservadas porque ainda somos um país muito desigual socialmente?, ressaltou.

Compartilhe