Vereadores pedem CPI do transporte coletivo em Feira de Santana

Na manhã desta quarta-feira (7), o vereador Marcos Lima (PRP) ocupou a tribuna da Casa Legislativa para protestar mais uma vez contra o serviço de transporte coletivo urbano da cidade de Feira de Santana. Segundo ele, após o anúncio de venda das duas empresas que operam o sistema (Viação Princesinha do Sertão e a Viação 18 de Setembro), os problemas nesse setor aumentaram, causando sérios transtornos aos usuários.
 
?O que nós observamos é que os ônibus estão totalmente sucateados, os elevadores para cadeirantes não funcionam, as pessoas ficam no ponto cerca de 40 minutos a 1 hora esperando ônibus. Eu acho que esta Casa tem que tomar uma posição com relação ao transporte coletivo nesta cidade?, disse o edil, salientando que o aumento  do transporte clandestino é consequência da má qualidade do sistema regular de transporte.

Para o vereador Eli Ribeiro (PRB), atualmente, o principal problema de Feira de Santana é o transporte público. Ele disse que uma senhora lhe contou ontem que ficou 1 hora e 30 minutos esperando um ônibus no ponto. Em sua opinião, o preço da tarifa do transporte coletivo urbano do município não é compatível com a qualidade do serviço.

A vereadora Cíntia Machado (PSC) também reclamou do sucateamento da frota de ônibus, da longa espera nos pontos e do valor da tarifa (R$ 2,35), que, segundo ela, é uma das mais caras do Brasil.

Cíntia sugeriu ao vereador Pablo Roberto (PT) que apresente novamente um requerimento pedindo a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar a situação do transporte coletivo urbano em Feira de Santana.

Marcos Lima  disse que também defende a criação da CPI e afirmou que não retirou sua assinatura do requerimento apresentado  pelo edil Pablo Roberto com essa finalidade. A proposta do petista foi rejeitada, no ano passado,   com a retirada das assinaturas de alguns vereadores governistas.

Compartilhe