Dilma faz defesa da Petrobras

A presidente Dilma Rousseff fez hoje (3), em Uberaba (MG), uma forte defesa da Petrobras, empresa que se tornou o epicentro da crise do governo federal nos últimos meses após o surgimento de diversas denúncias envolvendo servidores da estatal e a polêmica compra superdimensionada de uma refinaria nos Estados Unidos.

As declarações foram feitas durante o lançamento das obras da fábrica de amônia na cidade mineira, reduto do senador Aécio Neves, pré-candidato ? Presidência da República pelo PSDB.

Dilma comparou o preço de mercado da empresa e sua lucratividade nas gestões tucanas e petistas.

Segundo ela, a Petrobras valia R$ 15 bilhões quando o PT assumiu o governo federal em 2003. E hoje o valor alcança R$ 94 bilhões -um aumento de 627%. Já o lucro líquido, ainda segundo Dilma, subiu de R$ 8 bilhões para R$ 23 bilhões -aumento de 288%.

A petista faltou também sobre a importância do investimento para a implantação da fábrica de amônia -insumo utilizado na fabricação de fertilizantes, em Uberaba.

De acordo com a presidente, a produção de fertilizantes é uma ação estratégica para assegurar a sustentabilidade da agricultura no país. Ao todo, R$ 1,95 bilhão será aplicado para a construção da unidade.

“A Petrobras investe a favor do Brasil. Ganha o agronegócio, ganha essa região, ganha todo o Estado de Minas Gerais, ganha o Brasil e ganha a Petrobras também, isso é muito importante porque ela tem que ser uma empresa forte”, disse.

O ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, afirmou que as críticas partem de uma minoria e não vão interferir na continuidade dos investimentos da empresa.

“A Petrobras é vítima de uma minoria que fala mal dela. Mas ela continua sendo uma grande empresa que trabalha pelo país e por eles [os críticos]”, disse.

A presidente falou também que o PT investiu sete vezes mais na empresa em relação ? governos anteriores, mas não citou o período de comparação, nem os valores dos tais investimentos.

Compartilhe