Ministério Público Federal cobra explicações do SBT por declarações de Rachel Sheherazade

O SBT terá que dar satisfação ao Ministério Público Federal sobre as opiniões de Rachel Sheherazade. De acordo com o jornal ?Folha de São Paulo?, o procurador paulista Pedro Antonio de Oliveira Machado enviou ofício ? emissora pedindo esclarecimentos.

Após ouvir o SBT, o procurador vai decidir se abre um inquérito. A emissora, que tem 30 dias para responder, não quis comentar o caso. O procurador também exige cópia em vídeo do comentário em que a jornalista disse ?compreender? pessoas que amarraram um assaltante em um poste no Rio.

Ainda segundo a publicação, o procedimento instaurado pelo MPF é resultado de representações de dois grupos de políticos ?um que tem a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) ? frente e outro formado por deputados e senadores do PSOL.

Entenda o caso
A jornalista Rachel Sheherazade, do SBT, causou polêmica no início de fevereiro ao defender o comportamento de um grupo de pessoas que resolveu fazer Justiça com as próprias mãos contra um adolescente de 16 anos acusado de cometer furtos no bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro (RJ). O comentário dividiu opiniões e está gerando debates nas redes sociais.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro e a Comissão de Ética da entidade se manifestaram ?radicalmente contra a grave violação de direitos humanos e ao Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros representada pelas declarações? da jornalista. Eles solicitam ? Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) que ?investigue e identifique as responsabilidades neste e em outros casos de violação dos direitos? e destacam que ?é preciso lembrar que os canais de rádio e TV não são propriedade privada, mas concessões públicas que não podem funcionar ? revelia das leis e da Declaração Universal dos Direitos Humanos?.

O Governo Federal estuda suspender a verba publicitária que repassa ao SBT. O caso é examinado pela equipe do ministro Thomas Traumann, da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, a pedido da líder do PCdoB na Câmara, Jandira Feghali (RJ). A parlamentar afirma que a emissora praticou apologia e incitação ao crime, ? tortura e ao linchamento ao exibir comentários de Sheherazade. Em caso de condenação, Jandira solicita que o SBT perca até o direito ? concessão pública.

Em 2012, o SBT recebeu R$ 153,5 milhões em publicidade de verba publicitária do gov

Compartilhe