Câmara de Salvador debate acessibilidade em audiência pública

O vereador e líder da oposição Gilmar Santiago (PT) presidiu audiência pública na noite desta quinta-feira (24), no Centro de Cultura da Câmara. No Dia Nacional da Língua Brasileira de Sinais (Libras), o vereador Gilmar, em parceria com o Centro de Surdos da Bahia (Cesba), promoveu o debate sobre acessibilidade em Salvador e cobrou políticas públicas voltadas para deficientes.

De acordo com Gilmar o objetivo do encontro, além de debater as principais dificuldades encontradas pelos surdos, identificadas principalmente na saúde e mercado de trabalho, foi discutir “a ausência de profissionais capacitados nestas áreas que impedem o bom atendimento ao deficiente auditivo?, afirmou.
 
Conquistas

Para Gilmar a audiência marca a data comemorativa, além de ser uma oportunidade para relembrar as lutas históricas por melhores condições de vida, trabalho, educação, saúde, dignidade e cidadania para a comunidade de pessoas surdas. O vereador é autor de um projeto de lei aprovado pela Câmara, em 2009 que reconhece a Libras como a segunda língua oficial da rede pública de ensino da cidade.

A conquista integra um conjunto de ações definindo que o poder público municipal deve ofertar cursos para formação de intérpretes e orienta que é de responsabilidade da administração pública manter o atendimento aos surdos, contratando profissionais de Libras. Além disso, por iniciativa do vereador ficou estabelecida a data 26 de setembro como o Dia Municipal do Surdo.

“Essa audiência é um instrumento de organização e cobrança de mais políticas públicas não só para os surdos, mas para todos que necessitam de acessibilidade. É necessário que a prefeitura e o legislativo municipal proporcionem mais avanços nas políticas públicas de acessibilidade, que devem ser entendidas de forma ampla, eliminando as barreiras que dificultam a inclusão das pessoas no mercado de trabalho e o acesso aos serviços públicos”, destacou o vereador.

Gilmar também apontou a necessidade do Executivo Municipal regulamentar ? lei aprovada em 2009. “Esta Lei insere-se na luta por uma sociedade inclusiva e cidadã e por um mundo mais justo e igual”, ressaltou o vereador.

O diretor do Cesba, Everaldo Pereira pediu que todos ficassem de pé por um minuto, em homenagem ? memória de Marla Antônia Lemos, uma das líderes atuantes na comunidade de surdos, que morreu vítima de um acidente de carro.

A audiência foi marcada por relatos que evidenciaram as dificuldades que a comunidade surda enfrenta na rotina diária, como o acesso aos serviços bancários, em hospitais, escolas e na sociedade devido ? carência de intérpretes e a falta de conhecimento da linguagem dos sinais pelo público. O encontro contou com três intérpretes, Wilcimar Reis, Vanderlita Gomes e Juanete Santos que se revezaram para passar as informações faladas para a linguagem dos surdos.

Participaram da mesa do debate a coordenadora Patrícia Silva de Jesus, representando a Secretaria de Educação do Estado; Neide Rios, representante do mandato do senador Walter Pinheiro; Jussara Reis, representando o deputado estadual Yulo Oiticica; e a assessora Vida Bruno, representando a vereadora Fabíola Mansur (PSB), presidente da Comissão Especial de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, da qual o vereador Gilmar Santiago também faz parte.

Compartilhe